Image Slider

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Review: Arrow 5x21 - "Honor Thy Father"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Honor Thy Father", exibido no dia 10/05/17.

arrow honor thy father

Depois de um milhão de episódios, Thea nos agraciou com sua presença! Parece que ela estava sabendo de tudo o que estava acontecendo, mas resolveu não se dar o trabalho de checar como o irmão estava até o momento. Tudo bem, a gente sabe que é uma questão contratual, mas tê-la nesse episódio só me fez perceber o quanto eu senti sua falta. Thea é uma personagem muito importante para a série, a única família que Oliver ainda tem, e merece ter uma participação mais ativa na série. Eu só torço para que na próxima temporada ela volte a ser Speedy.

De qualquer forma, Thea retorna para um enredo que vai envolvê-la, com Adrian Chase enviando um corpo/esqueleto para o escritório do Oliver. Quando eu li a sinopse, pensei que fosse ser o corpo do Robert, não é, o cara morreu há quinze anos, ou seja, antes de Oliver ou Chase começarem a se envolver com qualquer atividade criminal. Mas de certa forma eu estava certa, porque envolve mesmo o pai do Oliver. Como descobrimos logo no início, Robert Queen era o principal suspeito do assassinato desse tal cara, que morreu sufocado por cimento.

A conclusão inicial de Oliver é que Adrian Chase está armando pra parecer que Robert é culpado quando não é. Thea já não tem tanta certeza, ela sabe que os pais não eram pessoas ótimas e não ficaria muito surpresa se fosse verdade. Oliver não quer acreditar, dizendo que o pai não é um assassino, o que eu acho muito irônico porque Oliver literalmente viu o pai matando uma pessoa já quando eles estavam no bote de resgate. Mas a gente também sabe que a negação do Oliver em relação a família dele é muito grande, demorou um tempão para ele aceitar que a mãe estivesse envolvida no Undertaking.

Como Thea mesmo fala, depois que você descobre que seu pai biológico é o Malcolm Merlyn, responsável por mais de quinhentas mortes, fica mais fácil aceitar qualquer coisa. Eu realmente só quero parar um pouco aqui para agradecer por finalmente reconhecerem que Robert é o pai da Thea. Eu simplesmente odeio quando referem ao Malcolm como pai da Thea, porque não foi ele quem a criou, então fico feliz de ver que – apesar de ainda mencionar o Malcolm – Thea vê Robert como pai verdadeiro e se considera filha dela. Amém.

Até fazia um pouco de sentido se o Adrian quisesse armar isso, Oliver tinha razão quando justificou dizendo que Chase queria convencê-lo que ele era um assassino e estava fazendo o mesmo com seu pai. Mas estava claro para todo mundo – menos para o Oliver – que nesse caso o Robert tinha sido culpado mesmo.

Ele tenta encontrar outra justificativa, mas Adrian consegue um vídeo da cena, que mostra que Robert e a vítima estavam brigando antes e Robert acabou empurrando-o para o negócio de cimento. Foi uma morte acidental, mas ainda assim homicídio culposo continua sendo homicídio. Oliver nem queria ver o vídeo, mas Thea acaba vendo e faz com que o irmão aceite que não tem como justificar isso. Não só Robert matou uma pessoa, mas ainda tentou encobrir isso.

arrow 5x21

Oliver fica bastante abalado com essa notícia, mais do que deveria. Ele percebe que os sinais estavam em todos lugares e que o pai dele realmente nunca foi uma boa pessoa, já que ele mesmo tinha dito para o Oliver exatamente isso antes de morrer. Ele chega até mesmo a questionar qual era o sentido de continuar uma cruzada por causa de alguém assim, mas conversa com a Felicity, que o assegura que não importa se o pai dele era uma pessoa horrível, isso não invalida o bem que ele fez e que ele pode ser um vigilante porque ele quer, e não porque o pai dele deixou essa missão. Preciso comentar que estou muito feliz que Oliver e Felicity voltaram a sua dinâmica normal nesse episódio, com toques no ombro(!!!!!) e discursos motivadores.

Thea também consegue perdoar um pouco o pai ao final do episódio. Ela ficou bem chateada de ver a cena, e isso só a fez acreditar que ela também era um monstro, já que todas suas figuras parentais eram pessoas horríveis. Oliver mostra para ela um vídeo que Robert fez, dizendo que Thea precisava cuidar do Oliver, porque ele era uma pessoa que precisava do apoio da família. Por mais que eu ache que é verdade que o Oliver precise de apoio, acho horrível um pai colocar essa função pra filha. Principalmente se lembrarmos que quando ele fez esse vídeo a Thea tinha só doze anos.

É Oliver que conversa com Thea no final, internalizando rapidamente as palavras da Felicity, e dizendo para ela que só podemos ser nós mesmos e precisamos deixar o passado para trás. Ou seja, esquece o que seus pais fizeram de errado, conserte seus próprios erros e não os deles. Achei uma boa mensagem.

Depois de se inspirar, Oliver finalmente coloca sua roupa de Green Arrow de novo e continua indo atrás de Chase. Adrian está tentando criar algum tipo de vírus maligno, continuando o legado de seu pai como vilão, e está quase completando, pronto para matar um monte de gente, com a ajuda ainda de outros criminosos que foram liberados recentemente. O resto do Team Arrow luta com esses criminosos e consegue desarmar o aparelho do mal, impedindo que ele espalhasse o vírus, enquanto Oliver e Chase lutam entre si.

Oliver tenta usar uma manipulação emocional, dizendo que o pai de Chase – que afinal é o Clayborne mesmo, tinha achado que nem era – ia deserdá-lo porque ele era louco, e Chase parece ficar muito abalado, se rendendo. Eu não sei como Oliver acreditou que foi tão fácil assim, porque depois de tudo isso até parece que Chase ia simplesmente se entregar. Mas Oliver considera uma vitória e prende Chase.

Não sei qual é o plano de Adrian ou como ele vai escapar da prisão, mas com certeza era exatamente isso que ele queria, porque quando o vemos na prisão, ele está sorrindo. Aquele sorriso maléfico de quem está conseguindo completar seu plano. Ai, ai, Oliver, não estamos na season finale ainda, como é que isso já teria acabado?

rene arrow 5x21

A maior parte do episódio é focada mesmo nos Queens, mas também temos um pouquinho sobre Rene e sua filha, Zoe. Como tínhamos visto antes, ele resolveu lutar pela guarda da Zoe depois de ser incentivado pelo Quentin, e agora finalmente vai acontecer uma audiência sobre isso.

Rene fica um pouco nervoso depois que descobre que terá que testemunhar na frente de Zoe, o que ele acha que vai ser uma experiência retraumatizante, por ter de falar sobre o uso de drogas e morte da mãe, assim como o comportamento negligente do Rene. Eu não discordo com ele, e normalmente audiências assim não são para serem feitas na frente da criança, né, mas como Quentin disse era isso ou não aparecer e fazer com que a Zoe achasse que ele não queria.

Rene até fica meio na dúvida, mas no fim parece que foi convencido. Até que vemos a cena da audiência, o Quentin está lá para apoio moral, a Zoe parece apreensiva, e a juíza pergunta onde que está o Rene. Confesso que por um momento, achei que ele não tinha aparecido por medo mesmo e morri de raiva, porque a Zoe parecia tão triste, eu só queria arrastar Rene até lá e mandá-lo cuidar da filha. Mas logo em seguida lembrei que com certeza o Rene não deixou de ir porque quis, ele está desaparecido.

Vale lembrar ainda que no episódio passado vimos o Adrian prestes a sequestrar o William, mas até agora não vimos nada. Imagino que agora Rene esteja no mesmo lugar que o William. Só estou me perguntando se a Samantha foi sequestrada também ou não, porque se ela não foi, não sei porque ela não contatou o Oliver ainda?
Imagino que a Talia que esteja sequestrando as outras pessoas e que vai liberar Adrian depois. Só espero que eles percebam logo, porque estou com medo pelo William.

O Melhor:
+ Thea de volta!
+ Oliver e Thea conversando sobre o pai
+ Oliver e Felicity conversando!
Pontos soltos nos flashbacks finalmente sendo fechados e fazendo sentido
Irrelevante, mas amei o vestido da Felicity??? Achei lindo!

O Pior:
- Oliver achando que venceu o Adrian tão fácil assim, oi?
- Quero saber sobre o William!! Como que terminam com aquela cena no outro episódio e dessa vez não falam NADA sobre isso?


Nota: 7,5

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1