Image Slider

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Review: Arrow 5x20 - "Underneath"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Underneath", exibido no dia 03/05/17.


arrow 5x20
 
Quase que não escrevo essa resenha pelo simples fato de que ESTOU MORTA. Quem acompanha minhas resenhas, sabe que eu reclamo muito de Arrow, mas no fim meu amor é facilmente comprado com algumas cenas fofas. Isso é especialmente verdade quando envolve Olicity, já que eu vendi minha alma ao casal já tem algum tempo e agora não tem mais volta, por mais que eu tente desapegar, é só os dois olharem um para o outro que meu coração derrete.  Confesso que até tentei manter minhas expectativas baixas, mas tinha esperanças que o episódio não me desapontasse, e pela primeira vez na história Arrow quase conseguiu isso.

Foi um episódio perfeito? Não, ainda tenho coisa para reclamar e podia ter sido melhor, sim. Mas foi tão melhor do que Arrow costuma ser que eu vou desculpar os erros. Um pouquinho pelo menos. No fim, Arrow continua sendo Arrow e precisa nos lembrar que estamos vendo uma série que, na maior parte do tempo, deixa muito a desejar. Mas eu continuo assistindo, não é mesmo?

Vamos ao episódio em si, Adrian Chase desabilitou tudo que é movido a energia elétrica no Bunker – incluindo o chip que ajuda a Felicity a se movimentar - e prendeu Oliver e Felicity lá. O motivo dele provavelmente não para que os dois pudessem conversar sobre seus problemas e ter momentos lindos, mas foi isso que ele conseguiu. No episódio passado, Felicity estava brigando com Oliver por ele não ter confiado nela quando ela quis se juntar ao Helix, e essa questão da confiança aparece logo no início quando Oliver ignora o conselho da Felicity – que avisa que teriam armadilhas no elevador e era melhor ele não ir até lá – e se machuca feio.

Como se a Felicity estar paralisada e o Oliver ter se machucado não fosse uma situação ruim o suficiente, tudo se complica ainda mais quando eles tentam utilizar a moto do Oliver para gerar energia e acaba explodindo um cano com gás metano. Os dois precisam super se deslocar pelo Bunker, tentando procurar alguma saída, mas sem achar nada, enquanto o resto do Team Arrow também procura uma forma de salvá-los mas é cada vez mais difícil.

Esse episódio é um ótimo exemplo de como é possível balancear ação, com várias cenas angustiantes dos dois tentando fugir e a equipe tentando resgatá-los, com desenvolvimento dos personagens. É óbvio que para mim é muito mais interessante ver os personagens conversando um com os outros, mas eu sei que grande parte do público acha cenas de ação super interessantes e é isso que eles querem ver. Não vejo porque deixar de fazer um só para agradar o outro.

Temos Oliver carregando a Felicity nas costas, paralelos com a cena da primeira temporada do elevador, Oliver quase morrendo, coisas explodindo, suspense sobre o que o Chase estaria fazendo, sufocação. A cena mais estressante ever do John tentando segurar Oliver e Felicity pelo braço, mostrando a força do braço desse pessoal, basicamente cenas muito melhores, na minha opinião, do que eles simplesmente atirando flechas de um lado para o outro. É isso que eu quero ver, emoção!

olicity 5x20

As conversas iniciais do episódio foram simplesmente sensacionais. Felicity expressou que acreditava que Oliver não confiava nela, dando exemplos sobre como isso se manifestava, e Oliver por sua vez finalmente fez um esforço para ouvi-la. Depois de quase morrer pelo sangramento (somado a falta de oxigênio e ter que carregar Felicity nas costas porque ela não consegue andar), Oliver confessa para ela sobre o que Chase o fez perceber, sobre ele matar porque gosta, e Felicity diz que isso não é verdade, apontando que ele tinha sido torturado por uma semana. Basicamente, Oliver diz que sempre confiou nela e que não confia é nele mesmo.

Tudo isso faz um paralelo com o verão entre a quarta e a quinta temporada, quando Oliver e Felicity estavam trabalhando juntos e sozinhos. Curtis acaba arranjando para os dois terem um jantar juntos bebendo vinho, e isso nos levou a uma cena maravilhosa da Felicity tentando usar o salmon ladder (sei lá o nome desse aparelho em português), e o Oliver ajudando-a. Uma coisa leva a outra, e os dois acabam transando ali no bunker mesmo. Por mais que os dois estivessem completamente adoráveis na cena, Felicity logo acaba com nossa felicidade, dizendo que por mais que o sexo tenha sido ótimo, não muda nada. Oliver não confia nela ou em ninguém, e ela diz que não entende isso e que merece a confiança total dele e, enquanto não tiver isso, os dois não podem ficar juntos.

Agora, eu achei as conversas muito boas, mas elas eram apenas discussões que precisavam chegar a uma conclusão. E a conclusão foi o ponto em que os escritores mais erraram, porque eles mostraram que ainda não entenderam de verdade o que deu errado. Para começar, no flashback a Felicity pede desculpas por ter ido embora e diz que sabe que eles precisam conversar, mas ela não está pronta. Seria ótimo, se não fosse um flashback e soubéssemos que ela começou a namorar o Billy logo em seguida. O jeito que ela falou não foi o de alguém que queria “explorar outras opções”, então faltou um pouco de coesão entre esse flashback e o início da quinta temporada.

No presente, a coisa não foi muito melhor. Depois de conseguirem escapar com a ajuda da equipe, Oliver é levado para cirurgia e Curtis ajuda Felicity a voltar a andar. Os dois têm um momento juntos no final, em que eles ficam de mãos dadas, e Felicity diz que, depois do Helix, ela entende um pouco pelo o que o Oliver passou e porque ele não contou a verdade. O problema disso tudo foi que, primeiramente eles colocaram como se a Felicity tivesse feito isso tudo pelo Billy (tipo... Billy WHO?!), e como se fosse mais culpa da Felicity do que do Oliver, que realmente tinha mentido. Senti uma falta de responsabilização pela parte do Oliver, que no fim era quem tinha errado primeiro. Por fim, Felicity deu a entender que tinha abriu a porta de novo para uma possível reconciliação entre eles dois, mas que antes o Oliver precisava descobrir quem ele era.

Idealmente, eu ainda gostaria de vê-los conversando sobre o Oliver ter mentido sobre o William, principalmente agora que o Chase sequestrou o menino. Mas acredito que para os escritores isso já tenha se encerrado. Como eu disse, eu não gostei desse final, achei que poderia ter sido escrito de forma muito melhor, mas já foi mais comunicação do que todo o resto da temporada junta, então eu vou aceitar.

arrow underneath

Olicity pode ter ocupado grande parte do episódio, mas acredite ou não, teve mais do que eles. Mais especificamente, Diggle e Lyla ainda precisam resolver os problemas que começaram no episódio passado, envolvendo o trabalho da Lyla com o ARGUS. Mais uma vez o tema é a ver com confiança, já que Lyla acredita que o John agir dessa forma demonstre uma falta de confiança nela, em saber quais são os seus limites e o que é certo e o que é errado.

Eu fiquei muito feliz de ver a Lyla mostrando a hipocrisia do John, que é um vigilante e fez várias coisas moralmente questionáveis, mas age de forma superior agora. Diggle não acredita muito, ficando até ofendido com essa comparação, já que ele acha que o que a Lyla faz é pior porque é algo governamental.

A briga deles é interrompida por Curtis, Rene e Dinah, que vão até John para descobrir o que fazer depois que viram que o Bunker está sem energia e Oliver e Felicity estão presos ali. Durante o episódio, eles discutem algumas vezes sobre isso. Dinah aconselha Diggle, contando sobre seu antigo namoro, sobre como eles precisavam manter algumas coisas em segredo, mas não significava que eles queriam fazer isso. Lyla também faz um esforço para atender às necessidades do marido, trazendo para ele todas as operações secretas que ela aceitou, para que ele visse o que ela estava fazendo.

Mais do que isso, mesmo brigados, Lyla apoiou Digg durante o episódio todo, ajudando com os recursos do ARGUS quando era necessário. Inclusive, foi com isso que ela ajudou a salvar a vida do Oliver, tanto com uma injeção de adrenalina (com uma das bolas que ela tinha copiado do Curtis) e depois levando-o para um hospital do ARGUS, onde poderia ser operado seguramente e sem ter que inventar desculpas – o que seria bem mais complicado agora que ele é o prefeito.

No fim, Diggle e Lyla fazem as pazes, com John vendo que realmente deveria confiar mais na Lyla e que ela também faz boas coisas com o ARGUS. Yay! Adoro meus casais conversando e confiando um no outro.

O Melhor:
+ Oliver e Felicity ficando juntos nos flashbacks
+ A cena no Salmon Ladder. Convenhamos, foi muito adorável!
Os dois conversando no presente!!!
+ Oliver admitindo o que Chase fez com ele
+ Amei a cena do John segurando Oliver e Felicity pelo braço, bem metafórica.

O Pior:
- A conversa no hospital. Ai, ai. TINHA TANTO POTENCIAL.
- Falta de coesão entre o que a Felicity disse e como ela agiu na S5A.


Nota: 9,5

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


2 comentários:

  1. Achei esse episodio tão chato que já tava com vontade que ele acabasse logo, os flashbacks não tem sentido ,(os dois do nada começam a se pegar,beleza que eles estavam bêbados,sozinhos e já tinham tido algo antes mais mesmo assim foi forçado)a trama do Diggle e da Lyla assim como você mesma disse não tem sentido nenhum. A única coisa que eu achei legal do episodio foi a interação dos recrutas

    ResponderExcluir
  2. Não achei do nada eles ficarem juntos no flashback não, porque no final da temporada passada eles já estavam bem próximos e ficaram meses trabalhando sozinhos. achei mais forçado eles terminarem do que ficarem juntos hahah

    ResponderExcluir

 
UA-48753576-1