Image Slider

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Review: Agents of SHIELD 4x21 - "The Return"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "The Return", exibido no dia 09/05/2017!

agents of shield 4x21

Agora que estamos fora da Framework tudo está cada vez mais confuso. Uma coisa é certa: as vidas inteiras que viveram na simulação parecem reais para eles. Ao longo do episódio, fica claro que tudo que aprenderam, viveram e sentiram foi real. É como se tivessem vivido duas vidas. Imagino que, por mais que tenham essa sensação, Coulson, Fitz e May saibam da vida 'real' que tiveram.

Infelizmente, isso não deixa de afetá-los. Em particular, Fitz. À principio, achei que Aida pudesse ter afetado Fitz de forma diferente, para manter seus sentimentos de outra forma, mas a verdade é que é assim para todos. Como vimos episódio passado, estava um tanto confuso quando acordou.

Ele está abalado com tudo que fez, porque, por pior que tenha sido, foi algo que ele fez por conta própria - não foi um robô, nada disso. Enquanto isso, Aida sente tudo muito intensamente. Sua vida como android não era nada comparado com o que sente de verdade. Ela demonstra seu amor repetidamente para Fitz e, ele, dividido por essas duas vidas e amores intensos, não sabe exatamente como lidar. 

O mais perto de uma solução é tentar fazer Aida perceber o mal que fez e está fazendo para os amigos de Fitz, e como pode ajudá-los agora que pode sentir empatia. Por incrível que pareça, Aida realmente parece melhorar. Ser humana a faria entender as pessoas, e sua pode ser uma coisa boa. O problema todo é que, por mais que sinta empatia e amor, Aida também vai aprender ódio e ciúme, o que a transforma no completo oposto visto no começo do episódio.

Gostei bastante que vissemos essa transição de Aida. A série sempre questionou muito o que ser humano, o que isso significa e como uma android que simula isso tudo entra aí. Até que ponto essas vidas do Framework foram reais ou não, até onde essa consciência pode ser levada.

agents of shield 4x21 coulson

Enquanto isso, o time apanha um pouco. May e Coulson acordam presos na estação embaixo d'água e precisam lidar com os trilhões de Ivanovs que aparecem. Cada um em um corpo robô, o que torna o russo praticamente imortal no momento. 

A calmaria do episódio, se é que podemos chamar assim, foi ideal para que pudéssemos ver cada personagem digerindo tudo. Estando presos ali, Coulson acaba colocando May a par de tudo que aconteceu desde que foi sequestrada por Aida. Foi bem curioso ver que eu nem tinha percebido o quanto Melinda tinha perdido, tadinha. 

Desde um pouco antes do embate entre Robbie e o tio - o que parece ter acontecido uma vida atrás -, May estava no Framework. Ela não sabe de nada sobre sua versão android, e foi bem engraçado ver como Phil reagiu a isso. Ele estava claramente envergonhado de não ter percebido antes, e mais ainda por criado uma conexão com ela e pelo beijo que aconteceu. 

Além disso, temos Daisy e Jemma, juntamente com Piper, Yoyo e os dois agentes da Shield, tentando sustentar a aeronave até que conseguissem salvar Coulson e May. Eles têm suas dificuldades, mas se defendem dos ataques e colocam a dupla a par da perseguição que existe à Shield.

agents of shield 4x21

Como se não bastasse, Yoyo e Daisy têm um discussão feia quanto ao fato de Mack não ter voltado. Yoyo claramente não entende porque ela o deixaria lá, mas Daisy conta sobre Hope. Por mais que a informação tenha abalado a conversa, uma coisa é clara: os efeitos do Framework e de quão real é para quem está lá só pode ser entendido se você viveu aquilo. Elena insiste que deveria voltar lá para salvá-lo. 

Enquanto isso não acontece, Daisy e Jemma conseguem salvar Coulson e May. Apesar das dificuldades, eles recebem a ajuda de Fitz e Aida para salvar Mack e todos acabam juntos no nave. Eis então a parte mais dolorosa de todo o episódio: o reencontro entre Fitz e Simmons. Jemma tenta entender como é ter vivido no Framework, tenta se convencer que a relação com Fitz é possível, se convencer que ele não ama de verdade a Aida, mas ninguém sabe. 

Como eu tinha dito antes, quando ama, o Fitz ama profundamente. Por isso, ter tido Ophelia/Aida em sua vida é algo difícil de se separar assim. Preso em uma cela com Aida, finalmente vemos Leo falar o que sente sobre isso tudo - não só a gente, mas também Jemma através das câmeras. 

Ele não sabe se consegue reparar a relação que tinha com Simmons. Ele não sabe como ela pode o ver de novo da mesma forma. No entanto, por mais que esteja dividido entre esses dois amores, ele sabe que Jemma é a escolha certa. Simplesmente porque, bom, ela é.

Eu juro que estava me ficando irritada com os escritores achando que iriam levar esse namoro do Fitz e da Aida por mais alguns episódios - o que estava me incomodando muito. Felizmente, eles mostraram ser sensatos com os fãs. O mundo merece Fitzsimmons. Apenas merece.

agents of shield 4x21 fitz

Dito isso, conhecemos Aida com um ódio incrível. Ela não sabe como é ser rejeitada, como não é ter tudo que quer. Sim, ela escolheu Fitz, mas quem disse que ele a escolheria? Assim, tudo vai para os ares. Ela demonstra toda a sua gama de poderes - poderes estes que herdou dos experimentos com inumanos no Framework -, e usa sua raiva para destruir ainda mais a sede da Shield. 

Simmons, sabendo do que Fitz disse, avisa para os outros o salvarem - e é Piper quem o traz em segurança para o nave. Podemos falar que o reencontro real dos dois acontece nesse momento, porque Jemma vai até Fitz e ele simplesmente chora. Eles simplesmente se abraçam e se apoiam um no outro. 

O final foi um tanto conturbado. Temos General Talbolt, que ainda acredita que o time é formado por androids, mas acaba os deixando 'escapar'. Temos Aida, que mata mais uma versão de Ivanov e promete transformar o mundo em um Framework 2.0. Temos Yoyo, que decide se colocar na Framework e acorda no caos da simulação. Temos Robbie, que, quando menos esperávamos, aparece novamente pelo portal (!!).  


O melhor
Coulson tentando fugir do assunto com a May. 
Fitz ao falar sobre seus sentimentos e escolher Jemma. 
Abordagem às novas emoções de Aida. 
Resquícios do Framework e seus efeitos em todos. 
Robbie!

O pior
Argh, Talbolt.
- Por favor, série, não me dê esperanças para o Mack se for trazê-lo de volta. 

Nota 9,5

Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1