Image Slider

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Review: Arrow 5x19 - "Dangerous Liaisons"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Dangerous Liaisons", exibido no dia 26/04/17.

olicity 5x19


O enredo do Helix finalmente chega ao seu clímax com Felicity finalmente indo contra o próprio Team Arrow. O motivo? Conseguir encontrar Adrian Chase. Ele está sumido há uma semana e Felicity está cansada de não ter nenhuma pista, então, como sempre, acaba pedindo ajuda para o Helix. Alena diz que a Felicity deveria ajudá-los a libertar Cayden James, o fundador do Helix, que foi preso pela ARGUS, e em troca ele tem um dispositivo louco lá que a ajudaria a encontrar Chase.

Tudo isso talvez não tivesse nada muito demais se o cara não estivesse preso justamente pelo ARGUS, ou seja, a comando da Lyla. Felicity acredita que valha à pena soltá-lo em troca de encontrar Prometheus, mas Alena já desconsidera e Lyla também não quer. Ela diz que eles podem encontrar outra forma de prender Chase sem liberar James, que segundo ela é um hacker muito perigoso. As duas acabam entrando em conflito, pois estão em lados opostos, e isso faz com que o Team Arrow, ou mais especificamente Oliver e Diggle, precisem escolher um lado, e eles acabam escolhendo o da Lyla.

Tanto Oliver quanto John consideram o Helix perigoso e acham que a Felicity está errada de se envolver com eles, até mesmo porque no início do episódio Alena chega a matar uma pessoa (o que ela alega ter sido acidente) uma pessoa. Para eles, se envolver com o Helix e tirar uma pessoa potencialmente perigosa da prisão é cruzar uma linha.

Por mais que Oliver tenha feito várias escolhas questionáveis e cruzado todas linhas existentes, ele não quer que a Felicity cometa os mesmos erros que ele. Os dois podem estar em lados opostos nesse episódio, mas isso gerou diversas conversas honestas entre os dois, uma comunicação que não vemos na série há muito tempo. Felicity fala sobre sua opinião, dizendo que Oliver não tem direito de julgá-la e que ele não precisa protegê-la de tomar questões difíceis. Por sua parte, Oliver diz que entende o que ela está dizendo, mas que Chase era responsabilidade dele e que ela não devia vender a alma dela para isso.

Para Felicity, isso é uma questão de confiança, e eu entendo ela. Ela apoiou o Oliver mesmo quando ele estava todo errado ou não tinha nenhuma justificativa pro jeito que estava agindo, e ele não fez o mesmo por ela, tentando pará-la. Eu acredito que dizer que “ele não confia nela” é uma simplificação, porque também tem as questões sobre o Oliver lidar com as consequências de suas ações e não querer que ela lide pelo o que ele já passou.

No fim, Helix dispensa a Felicity por sua ligação com o Team Arrow, mas a entrega o que prometeu. Não vemos a cara de Cayden James, mas algo me diz que ou ele é alguém que conhecemos ou será um vilão importante na próxima temporada (e eles ainda não fizeram casting, por isso ele não apareceu). Mas não consigo ver essas ações não tendo consequências no futuro.

Mas o mais importante mesmo é que Oliver e Felicity finalmente conversaram e colocaram para fora questões – por exemplo, a Felicity achar que ele não confia nela já é algo que ela reclama desde que ele mentiu sobre o William – e agora que estão presos juntos no Bunker, VÃO TER QUE CONVERSAR. Nunca estive tão ansiosa para o próximo episódio quanto estou para esse, juro.

diggle lyla 5x19

Mas Oliver e Felicity não foram os únicos personagens a terem uma grande discussão nesse episódio. Lyla teve uma grande participação, por envolver o ARGUS, o que eu sempre adoro, porque simplesmente amo a Lyla e acho que ela é uma ótima personagem. Infelizmente, dessa vez ela e John têm uma briga bem feia por causa do trabalho dela.

ARGUS está mantendo Cayden James como prisioneiro. Só que não exatamente de um jeito legal, já que aparentemente ele é tão bom que não deixa evidências para trás – mas deixou alguma para ser pego – e aí não teve nenhum julgamento formal. Ou seja, Cayden James está tendo seus direitos violados, porque como todos sabemos todo prisioneiro tem direito a um advogado, defesa, julgamento justo, toda essa coisa aí. Eu nunca achei que o ARGUS funcionava totalmente dentro da lei, porque é só ver o que o Oliver fez quando trabalhava para eles, mas parece que isso chocou Diggle de alguma forma.

Lyla tinha prometido ao marido que não ia se tornar a Waller quando assumiu o lugar de diretora do ARGUS, mas, como ela mesma diz, as coisas ficam bem diferentes quando é você quem tem que tomar decisões. Diggle é um dos personagens da série que tem a visão de mundo mais em preto e branco, seguindo firmemente o que ele considera correto, e isso não bate bem com o trabalho que a Lyla fez, que exige uma moralidade muito mais cinza. Pela conversa que os dois têm no final, fica claro que esse já era um problema no primeiro casamento deles, então é uma questão recorrente para os dois.

Por mais que eu ame uma bela discussão de relacionamento, devo dizer que me irritou muito o tema que os escritores escolheram para essa briga, simplesmente porque ele não faz sentido dentro desse universo. É claro que no mundo real prisão ilegal é algo bem sério e que é para ser questionado SIM, mas... Quem é o Diggle para falar qualquer coisa? Não foi ele quem prendeu o próprio irmão no ano passado? Nessa temporada mesmo a Black Siren estava presa. E não vai me falar que o Slade teve algum julgamento, porque duvido muito. O Team Flash tem sua própria prisão de metahumanos dentro do STAR Labs, e eles não tem acesso nem a banheiro, imagina se vão ter advogados.

A questão é que nessa série, eles fazem isso o tempo TODO. Consigo achar mais legítimo a Lyla – que é diretora de uma instituição governamental – prender alguém sem julgamento, do que o Team Arrow, que são só civis, prender alguém (o que teoricamente não é nem prisão ilegal, e sim sequestro e manter em cativeiro, né). E o problema dele não é prender e sim que é ilegal, alguém deveria lembrá-lo que vigilantismo também é ilegal. Tudo o que eles fazem nessa série está moralmente errado, e eu não implico com isso, eles só precisam manter uma consistência no que é certo ou errado para eles. Colocasse a Lyla torturando ou matando alguém, aí sim ia parecer algo bem mais grave.

De qualquer forma, mesmo que não faça muito sentido, fico feliz de ver John e Lyla tendo cenas e um enredo próprio. Só espero que eles consigam resolver isso e não se divorciar de novo, porque ainda estou esperando a Lyla engravidar de novo para que possa ter a baby Sara mais uma vez. Ainda não superei trocarem o bebê para um menino.

rene ramirez zoe 5x19

No último núcleo do episódio, temos Quentin e Rene, que estão lidando com trabalho político, acolhendo a família das vítimas de Prometheus e os assegurando que estão fazendo o melhor que podem. Só não sei por que o vice-prefeito que tá fazendo isso, para mim isso era trabalho da polícia, mas tudo bem. Rene está meio sem paciência pro pessoal enlutado, e Lance acaba revelando que sabe sobre o passado de Rene (porque Curtis contou).

Desde que ficamos sabendo que Rene tem uma filha que está acolhida, eu estava esperando para ele conversar com Lance. Afinal, Quentin já perdeu as duas filhas (tudo bem que a Sara voltou à vida, mas ela só fica em LoT), então ele é a melhor pessoa para poder conversar sobre isso, porque ele sabe o que é realmente não ver mais as filhas e pode colocar a cabeça do Rene no lugar.

Rene diz que desistiu de tentar conseguir a guarda de volta, e revela que ele “não é bom para ela”, contando que Zoe tinha se machucado enquanto ele tomava conta dela e estava bêbado, e foi por isso que ele perdeu a guarda para começar. Por mais que eu entenda que ele tem seus próprios conflitos e realmente acho que ele precisa prestar mais atenção, isso foi literalmente um acidente. E nem é como se a Zoe fosse tão pequena, ela parece ter uns dez anos, grande o suficiente para saber que não é para tocar em panela que está no fogão. Acho um pouco estranho perder a guarda só por isso, já conheço muita gente que sofreu acidente bem pior quando era criança, eu mesma já me queimei no forno quando pequena, mas tudo bem.  

Mas Rene prova que nem é um pai tão bom assim, porque ele podia visitar a Zoe e ele não visitou porque NÃO QUIS, achando que era melhor ela ficar com a família acolhedora mesmo. Não tiraria a guarda dele pelo acidente, mas tiraria só por não ter visitado. Há quantos meses a Zoe está sem receber visita alguma? Meu Deus, Rene, faça um esforço para ser um bom pai.

Lance não tem muito empatia pelo Rene, e resolve arranjar para que ele encontrasse Zoe. Quando Rene a vê, ele age como um pai amoroso e, vendo a filha perguntar quando ia poder voltar para casa, acaba se convencendo que devia fazer alguma coisa e resolve finalmente entrar em contato com o advogado que Curtis tinha recomendado. Achei um momento fofo, mas no lugar do Quentin eu teria ficado muito mais irritada com o Rene.

O Melhor:
+ Felicity no Helix!!
+ Oliver e Felicity finalmente reconhecendo seu passado e os problemas que tiveram
+ Sempre amo ver a Lyla
+ Diggle e Lyla discutindo seu casamento
+ Fim da história do Helix
+ Quentin ajudando o Rene

O Pior:
- Hipocrisia do Digg
- Algumas coisas sobre o Helix/Alena ficaram muito suspeitas, era para ser coincidência mesmo?
- Não descobrimos a identidade do Clayden James
- Rene não querendo ver a filha


Nota: 8,5

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1