Image Slider

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Review: Arrow 5x13 - "Spectre of the Gun"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Spectre of the Gun", exibido no dia 15/02/17.

arrow 5x13

Thea está de volta!! Esse não é nem de perto o foco do episódio, mas eu simplesmente preciso começar a review comentando isso, porque senti muita falta dela. E se você achava que teria alguma explicação para seu sumiço está inteiramente enganado, é só uma questão contratual (a Willa só aparecerá em 14 episódios nessa temporada, provavelmente porque esses produtores são mão de vaca). E ainda a temos representando todos nós quando ela fala mal da Susan, não se importando com a opinião do Oliver. Quando ele vai aprender que a Thea está sempre certa?

Mesmo que Thea não tenha chegado a tempo de impedir Oliver/Susan de acontecer, ela chega bem na hora de um tiroteio, algo que não falta em Star City, se vamos ser honestos, mas dessa vez é diferente, porque acontece bem na prefeitura. Esse acontecimento é usado como pretexto para termos um “episódio problema”, um estilo de episódio que lida com uma questão real a ser debatida, nesse caso: controle de armas.

É uma questão bem importante nos Estados Unidos, já que lá é muito mais fácil que no Brasil de conseguir uma arma, só pelo que vemos no episódio já dá para ver: as pessoas são contras até ter um registro dizendo quem ter armas. Americanos acreditam que seja um direito constitucional ter uma arma, não importa o quanto já tenha sido provado que a violência e acidentes diminuem muito quando há um controle sobre a venda de armas. Mas para que fatos, não é mesmo?

Mas isso aqui é review de Arrow, não redação do ENEM sobre meu posicionamento sobre armas, então vamos ao que interessa. Além do Team Arrow procurar o responsável pela chacina, principalmente porque acreditam que ele iria atacar novamente, Oliver também tem responsabilidades políticas, afinal o ataque ocorreu na própria prefeitura e levantou uma questão polêmica.

Eu amo o meu filho Oliver, mas meu deus, ele é um péssimo político. Imagina só os memes que não iam ter se perguntassem a opinião de um prefeito daqui sobre regulamentação de armas e ele respondesse o que o Oliver respondeu. Esse é o tipo de coisa para o qual um político precisa ter opinião. É claro que esse é muito mais um problema nacional do que municipal, mas depois de passar vergonha em frente às câmeras, Oliver resolve fazer o dever de casa – super atrasado – dele e chama uma vereadora ou sei lá para discutirem o assunto, criando algum tipo de regulamentação. Yay, segurança!

arrow spectre of the gun


Com algum jogo político que ele nem entende direito, Oliver consegue garantir uma maior segurança para a população, ao mesmo tempo que protege os direitos daqueles que querem portar armas. Só quero ver quando que essa possível vereadora (conselheira? Secretária?) aí vai vir cobrar esse favor do Oliver, ele devia saber que se meter com política nunca dá certo, aposto que sua volta será super inoportuna.  

Além disso, Oliver consegue descobrir quem foi o responsável pelo crime, com a ajuda do Team Arrow, é claro, e também descobrem onde ele está planejando atacar novamente: em um hospital. Uma das minhas escolhas preferidas do episódio foi o Oliver ir confrontá-lo como o prefeito, não como Green Arrow, conversando com o cara sobre suas motivações, falando sobre como ele faria uma regulamentação melhor e como ele entende sua raiva, mas ao mesmo tempo o convencendo a abaixar a arma e aceitar ser preso. Parece que o Oliver tem mais talento para mediação de conflitos do que a política, pelo menos nesse episódio.

A motivação do atirador era que ele perdeu duas filhas em um tiroteio, bem perto de quando votaram contra uma melhor regulamentação das armas. Achei bem fraquinho de Arrow jogar que o cara que matou as filhas dele obteve as armas ilegalmente e então não tem nada que o governo pudesse ter feito, ignora bastante todo o fator cultural envolvido no assunto, mas não esperava nada melhor de Arrow.

A verdade é que esse é um assunto bastante político e que eu discutiria por horas, mas preferia não ver debatido em Arrow, ainda tenho flashbacks com Glee tentando lidar com assuntos sérios e falhando terrivelmente. E por mais que eles tenham tentado nessa parte do episódio criar um clima de “realidade”, não podemos ignorar o universo em que esses personagens vivem, na vida real vigilantismo é errado – legal e moralmente – então parece muito irônico vê-los discutindo sobre algo sério. Tipo, quem são vocês para discutir qualquer coisa quando estão aí fazendo justiça com as próprias mãos?

Por mais que o episódio tenha lidado com o tópico de maneira até melhor do que se poderia esperar, explicando as motivações pessoais por trás das convicções políticas e chegando a um “meio termo”, achei bastante insincero uma série como essa fazer um episódio assim. Principalmente o jeito como eles tentaram balancear demais as ideias para deixá-los neutros, por exemplo Oliver, Felicity, Diggle e Thea não expressaram suas opiniões em momento algum, dizendo que é “complicado” ou que preferiam não discutir o assunto no momento. Já Lance e Dinah são policiais com opiniões diferentes sobre o assunto, mas que não discutem muito, deixando Curtis e Rene como foco para o debate, cada um em um polo oposto.

rene ramirez 5x13


De longe, a parte mais interessante do episódio foi o Rene. Ele e Curtis passam o episódio inteiro discutindo sobre o assunto, Curtis é totalmente a favor da regulamentação, citando até mesmo a violência racial, e eu parabenizo Arrow por não ter simplesmente ignorado essa questão e ter dado voz a um homem negro nessa discussão. Já Rene é contra qualquer forma de controle, dizendo que precisa das armas para se proteger e, ao longo dos flashbacks, vamos conhecendo mais sobre seu passado e descobrindo por que ele acredita isso.

Já tinham dado umas dicas que Rene tinha filhos, mas agora foi confirmado que ele tinha sido casado e tinha uma filha – entre uns dez e doze anos, eu diria. Eu passei o episódio inteiro morrendo de medo que eles fossem matar a menina, já que eles já mataram o Akio uma vez, então sabemos que eles não estão acima de matar crianças. Mas não, o que acontece é que a esposa do Rene – Laura? – está usando drogas e quando o traficante vai cobrá-la, ela não tem dinheiro para pagar, o que acaba gerando um conflito envolvendo armas.

Rene tem uma arma em casa, que fica trancada dentro de um cofre, ele até tenta chegar a tempo, mas não consegue, no momento em que ele atira no cara, ele dispara a arma, atingindo Laura e a matando. A história triste não para por aí, depois disso, a filha de Rene é levada para uma instituição de acolhimento e ele não pode mais vê-la.

Eu não entendi por que o Rene não poderia mais ver a filha, mesmo se ela estivesse institucionalizada, sei que isso não funciona assim no Brasil e tenho quase certeza que não deve nos Estados Unidos também. Mas tudo bem, a gente perdoa isso, porque agora Curtis sabe sobre o passado de Rene e prometeu ajudá-lo a conseguir a guarda da filha de volta, vamos ver.

Também achei bem estranho como o Rene fala que se ele tivesse uma arma a esposa estaria viva quando NÃO, ele literalmente tinha uma arma e o que aconteceu é que a esposa dele morreu. Pelo o contrário, se ele não tivesse uma arma em casa e tivesse resolvido de outra forma, talvez o cara não tivesse atirado. E se aquela arma estivesse do lado de fora do cofre, pode até ser que ele tivesse atirado mais rápido – e isso é especulação – mas aí pode ser também que a filha dele quando pequena fosse lá, pegasse a arma e acabasse atirando em um amiguinho. Não é como se situações desse tipo nunca tivessem acontecido.

Amo o Rene e amei saber mais sobre seu passado, mas a racionalização dele é cheia de furos e ninguém vai me convencer que ter uma arma em casa é algo seguro.

O Melhor:
+ Backstory do Rene
+ Thea de volta e falando mal da Susan, vivo pra isso!
+ Não teve Susan nesse episódio
+ Curtis com ótimas opiniões
+ Oliver salvando o dia como prefeito
Dinah ficando amiga do Diggle e se estabelecendo em Starling

O Pior:
- Temática desnecessária para o estilo da série
- Os furos na história do Rene me incomodaram
- Personagens sem opinião


Nota: 8,0

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


4 comentários:

  1. "não importa o quanto já tenha sido provado que a violência e acidentes diminuem muito quando há um controle sobre a venda de armas. Mas para que fatos, não é mesmo"?

    Péra lá!!! Provado por quem? Por militantes desarmamentistas ?? Tenha dó né? Nada foi provado por estes vigaristas.

    Ter e Portar armas não é nem questão de planejamento contra a criminalidade e sim DIREITO das pessoas se protegerem. Entregar sua vida na mão de um governo em primeiro lugar é uma estupidez sem tamanho. Isso sim é loucura, e não defender o uso de armas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você verificar a taxa de criminalidade de países com controle sobre armas comparando com os países com países que não tem um controle tão grande, você descobrirá que a quantidade de crimes e acidentes com armas diminuem muito. O que nem precisaria comprovar porque é SENSO COMUM. Aconselho você a comparar Austrália com Estados Unidos. Nos EUA é extremamente fácil conseguir uma arma, e você acha que isso é só uma coincidência com o fato que lá em um ANO tiveram mais de 300 (TREZENTOS) tiroteios em escolas?
      Primeiramente, portar arma não é direito de ninguém. Sabe o que é um direito? A vida. Quando você tem acesso a armas, está colocando a segurança dos outros em perigo. Quando alguém tem acesso a armas, é bem mais fácil que, em um momento de raiva, utilize essa arma, veja só casos de violêcia do trânsito, bares ou violência doméstica? Se essas mesmas pessoas que cometem esses crimes sem armas tivessem fácil acesso a armamento, as vítimas poderiam morrer muito mais facilmente.
      Sem falar que, se proteger do que exatamente? De um ladrão entrar na sua casa? Aí você vai fazer o que, atirar nele? Só que se ele tem uma arma, as chances dele atirar em você são muito maiores (existe uma pesquisa em neurociência que demonstra que pessoas que já atiraram em outras tem o tempo de resposta para atirar muito mais rápido).
      E eu nem falei dos perigos em se ter uma arma em casa, principalmente quando se tem crianças e adolescentes no mesmo lugar.
      Honestamente, essa é uma review e não preciso ficar justificando minha opinião. Mas aconselho você a pesquisar sobre o assunto e se informar melhor.

      Excluir
  2. Sabe o nome da atriz que faz a mulher de Rene?

    ResponderExcluir

 
UA-48753576-1