Image Slider

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Review: Arrow 5x06 - "So It Begins"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "So It Begins", exibido no dia 09/11/16.

arrow 5x06

Prometheus já chegou abalando, para deixar claro seu tom altamente teatral ele faz com que Oliver e Diggle o sigam – deixando o celular do Church em um lugar determinado – e deixa uma mensagem como fogo escrito “E então começa”, bem dramático. E ele já começa matando pessoas aleatórias com aquela estrela assassina, tudo isso só para mandar uma mensagem pro Oliver. Meu deus, cara, manda logo uma carta dizendo o seu objetivo e vai tentar assassiná-lo cara a cara mesmo, qual a necessidade de tanto mistério?

Inicialmente, Digg e Oliver optam por não contar pro resto do Team Arrow sobre o que está acontecendo, apesar da Felicity deixar claro que acha uma ideia ruim. Digg desde que chegou está longe de confiar nos novos recrutas e acha melhor deixar esse tipo de informação só entre a equipe original, Oliver concorda, até mesmo porque não quer colocá-los em risco. Ele só acaba convocando os mais novos quando há um pânico na cidade – causado por histeria em massa, já que mesmo depois de tantos desastres a população de Star City não se cansa de surtar cada vez que um assassino em série aparece.

Oliver já tem bastante com que lidar – já que Prometheus está atrás dele, e ele ainda é o prefeito da cidade – e agora ainda vai ter mais um conflito interno. Depois que descobrem que foram deixados de lado, os recrutas ficam bastante chateados, sentindo que existe uma equipe A e uma B. Olha, vou ser honesta aqui, existe mesmo, Digg, Felicity e Oliver são a equipe original, eles se conhecem há mais tempo e é claro que são um time dentro do time, sempre vão consultar mais um ao outro, mas isso não significa que devam deixar os outros de lado, até mesmo porque eles também podem ajudá-los.

Só que o problema só aumenta quando Curtis e Felicity conseguem descobrir um padrão entre as vítimas de Prometheus, todos os nomes dos mortos são anagramas de nomes de pessoas que estavam na Lista e foram assassinadas pelo Oliver na primeira temporada. Yay, quem diria que um dia eu ficaria feliz em ver a lista mais uma vez? Mas me senti nostálgica a vendo sendo mencionada.

Quem não fica nem um pouco feliz são os recrutas, que por algum motivo não sabiam que o Green Arrow era o mesmo vigilante desde que chegou na cidade. Desculpa, mas isso aí foi culpa de vocês mesmo, porque não precisa ser tão inteligente pra perceber que era a mesma pessoa o tempo todo. Mas os baby vigilantes não ficam só chocados, mas indignados, porque isso significa que o Oliver matou um monte de gente já há um tempo.

evelyn so it begins


O único que não fica muito abalado com a notícia é Rene, como ele mesmo diz eles já sabiam que o Oliver tinha matado pessoas, isso não faz muita diferença para ele. Mas os outros ficam bem revoltados, até mesmo todos se encontram em uma reunião à parte. Achei fofo porque faz com que os recrutas formem uma união maior e espero que, daqui pro final da temporada, vejamos uma amizade verdadeira se formando entre eles.

Quem ficou mais revoltada mesmo foi a Evelyn e eu dei graças a Deus por isso. Evelyn andava meio esquecida no meio de tantos personagens, mal tendo falas ou alguma personalidade que fosse, então achei essa uma ótima oportunidade para dar voz à personagem. Não só isso considerei esse um conflito muito propício dado a história da equipe, esses desentendimentos são bastante naturais, principalmente considerando a natureza da situação.

O que mais irrita Evelyn é o fato do Oliver ter a impedido de vingar a morte dos pais, matando a Ruvé Darhk ou algo assim, na temporada passada, dizendo que matar não era a solução e todo um discurso moralista, e agora fica na cara que o mesmo não se aplicou a ele, já que o Oliver matou um monte de gente na lista do pai dele. Ou seja, parece que Evelyn não aprecia hipocrisia. E o fato do Oliver ter matado um monte de gente o torna um “serial killer” aparentemente, apesar de não ser necessariamente verdade, porque serial killer implica em mais do que só matar várias pessoas, tem que ter umas características específicas... Mas tanto faz: Oliver é um assassino. A gente tenta esquecer, mas é a realidade.

Oliver fica um pouco chateado com a reação dos outros, fazendo pensar sobre sua própria trajetória. Ele recentemente matou Darhk e depois disso matou uns outros figurantes, então ele precisa parar para se questionar se não evoluiu nada nessas cinco temporadas, se ele é mesmo um serial killer que nem essas crianças estão afirmando? Dessa vez é Digg que vai a seu resgate, conversando com Oliver e fazendo-o entender que não, ele não é a mesma pessoa da primeira temporada, ele vem evoluindo bastante nos últimos anos e ninguém pode negar isso. Diggle traz sua própria culpa por ter matado o irmão, dizendo para Oliver que ele sabe diferenciar uma morte justa de uma injusta, e que hoje em dia o Oliver não estava mais matando qualquer um, como costumava fazer, ele só mata em última instância.

Oliver se sente motivado com a ajuda do amigo e, depois de ir com o resto da equipe procurar o Prometheus e salvar a Evelyn quando ela se depara com o inimigo, ele conversa com a menina, pedindo desculpas por ele não ser quem ela pensava, mas que ele está tentando melhorar e espera que um dia possa ser. Queria que a Felicity estivesse ali para ouvir esse discurso lindo, amei e estou muito orgulhosa do Oliver.

arrow 5x06


Na área política da série, as coisas não vão muito melhor. Oliver está, como sempre, ocupado com seu trabalho não-oficial, mas consegue tempo o suficiente pra fazer uma entrevista com a Susan Williams. Só estou falando isso mesmo pra mencionar que eu estou que nem a Thea, completamente horrorizada com o prospecto do Oliver ficar com essa Isabel 2.0. De novo não, Oliver!! Sério, escute sua irmã uma vez na vida e faça boas decisões. O único lado bom de tudo isso é que temos a Felicity a chamando de “namorada” do Oliver, apenas para ele negar totalmente. Por favor, afaste-se dessa moça.

Thea continua segurando todas as pontas na prefeitura, fazendo todo o trabalho que Oliver deveria fazer. E ainda por cima o Lance não está ajudando em nada, é mencionado que ele anda chegando atrasado no trabalho e é bem óbvio que ele voltou a beber, a única que demorou pra perceber isso foi a Thea mesmo, que precisou fuxicar as coisas dele pra descobrir. Meu deus, Thea, olha pra cara do Quentin, óbvio que ele não está sóbrio há semanas.

Em uma cena final de choque, a série tenta nos fazer acreditar que Quentin é Prometheus, aparecendo uma cena em que ele encontra uma das estrelas voadoras (sei lá o nome dessa arma gente, foi mal, não consegui lembrar a tradução) em suas coisas, para fazer parecer que ele tem dupla personalidade ou algo assim. Olha, tenho 99% de certeza que o Quentin não é, não só porque não ia fazer sentido, mas porque eles não iriam revelar desse modo, então é só uma pista falsa.

Depois desse episódio, entretanto, começo a suspeitar do Billy Malone, o namorado da Felicity. Desde que chegou, Malone não fez nada na série, além de quebrar meu coração vendo a Felicity com outro cara. Nesse episódio, Felicity resolve contar para ele que trabalha com o Green Arrow, porque ela não quer mentir para ele e espera que ele vá reagir mal a notícia, mas surpresa: Malone não liga, pelo contrário, fica feliz e parece ser fã do Green Arrow. Eu, pessoalmente, adoraria que ele fosse mesmo só um moço legal, bonzinho e sem graça, para que quando a Felicity terminasse com ele, fosse porque ela quis, não por motivos exteriores.

Ok, mas por que estou suspeitando dele então? No final do episódio, Felicity analisa a estrela e descobre que Prometheus faz essas estrelas com as flechas do Oliver que foram pegas como evidências, ou seja, quem quer que ele seja tem acesso a coisas da polícia. Os mais suspeitos são os próprios policiais ou pessoas com acesso a policiais, é claro que isso é para apontar ainda mais os holofotes para Quentin, mas para mim, aponta para o Malone. Afinal, não é possível que ele fique tantos episódios e não tenha nenhuma história relevante. Ok, possível é, mas entre ele e o Lance, com certeza tem mais chances de ser ele, já que nós não sabemos literalmente nada sobre ele, além de que ele é policial, e pode ser que de alguma forma ele esteja conectado a alguém da primeira temporada – o que nós sabemos que o Prometheus é. Eu, pessoalmente, acho um plot twist bem tosco, digno de novela, mas é exatamente por isso que acredito que tem chance de acontecer. Os escritores gostam de tomar decisões ruins. 

Pode ser que ele também seja só para distrair do verdadeiro vilão, seja lá quem for, mas vou ficar atenta.

O Melhor:
+ Discurso do Digg pro Oliver
+ Mais foco na Evelyn
+  Adorei as interações entre o Team Arrow
+ História do Prometheus, yay!

O Pior:
- Não quero mais ver a Susan Williams, chega!!
- Aliás, chega de Williams em geral, incluindo William "Billy" Malone. Escolham outro nome, migos.
- Pra que tentar fingir que é o LANCE? Depois de todos esses anos, como que vamos acreditar nisso.
- Queria mais cenas Olicity, sempre, né, mas nada a fazer nesse sentido. Acho que tiveram umas duas boas oportunidades ali e os escritores escolheram não seguir. 


Nota: 8,5

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1