Image Slider

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Review: Arrow 5x02 - "The Recruits"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "The Recruits", exibido no dia 12/10/16.


arrow 5x02

Mais um episódio na temporada e eu já voltei a ficar feliz com Arrow, agora é só ver se isso vai continuar.

Depois de muitas tentativas, Felicity conseguiu convencer Oliver a arranjar um novo time, apesar de ele ainda não estar muito confiante com a ideia. Os recrutas dessa vez são o nosso querido Curtis, que resolveu virar vigilante, Evelyn, que é uma fofa, e Rene Ramirez, também conhecido como Wild Dog, que já estava lutando sozinho, não parece querer muito um time e tem um milhão de semelhanças com o Roy.

As técnicas de ensino no Oliver são as piores possíveis e literalmente me fez querer obrigá-lo a assistir umas aulas de licenciatura ou sei lá. Oliver, não é assim que se ensina as pessoas! Ele simplesmente diz que eles devem tocar um sino e, para isso, todos precisam passar por ele, que é muito mais bem treinado e consegue derrotá-los facilmente.

Não é surpresa nenhuma que o Oliver tenha tirado essa ideia diretamente do tempo dele do Bratva, eu entendo a necessidade dos escritores de fazerem paralelos, mas pelo amor de Deus, Oliver. No final, Oliver explica que o objetivo dele era que eles trabalhassem em grupo, mas só queria dizer que eu poderia indicar várias dinâmicas de grupo com esse exato propósito que seriam muito mais divertidas e machucariam menos.

Não é nenhuma surpresa que isso não dá certo. Quando Oliver precisa da ajuda deles em um evento, dizendo para eles apenas seguirem suas ordens e Wild Dog resolve desobedecê-lo, Oliver fica irritadíssimo e acaba descontando nos recrutas, insultando-os de diversas formas. Não vou defender o Oliver aqui, achei que o que ele falou foi bem absurdo e abusivo, assim como suas técnicas. Mas sou tipo a Felicity nessa questão, acho absurdo, interromperia se ali estivesse, mas entendo o Oliver.

Depois que Rene e Evelyn se demitem, Curtis fala para o Oliver que ele não sabe respeitar as pessoas e é por isso que todos do time dele foram embora. Não concordo totalmente com essa informação, apesar de ele não ter respeitado os novos recrutas, o Oliver respeitava Digg e Thea sim, não foi por isso que eles saíram e achei vacilo dizer isso para o Oliver.

É então que vem a MELHOR cena do episódio, com Felicity e Oliver conversando sobre o que aconteceu. Oliver conta sobre o tempo dele na Rússia e como se distanciar dos outros, usando máscaras e não revelando seu nome, ajuda a não se apegar e, portanto, não se machucar quando os outros morrem ou vão embora. Uma clássica defesa de distanciamento, com que tenho certeza que a Felicity está muito familiarizada. Mas além de ouvi-lo, Felicity diz que o que fazia o time anterior dar certo era que as pessoas o conheciam, todos sabiam a história do Oliver e o admiravam e respeitavam como pessoa, inclusive ela. Só faltou um “é por essas razões que eu te amo” ali porque por algum motivo eles ainda estão separados.

ragman 5x02


Mas nem só de dinâmica grupal vive esse episódio, tem um enredo de ação, como sempre. Oliver, como prefeito, está inaugurando uma clínica médica gratuita e precisa que uma empresa financie, a escolhida para isso é a Armtek. Tudo bem, ninguém se importa até que alguém começa a matar as pessoas dessa empresa, chamando a atenção do Oliver.

Ragman, um cara vestido em farrapos que cobrem o corpo e rosto inteiro dele, parece ter algo meio místico, possuindo tentáculos de trapo ou sei lá o que é aquilo, matou um dos carinhas e depois tenta matar a dona/representante da empresa, só sendo impedido pelo Oliver e o Wild Dog, que acaba intervindo na situação e consegue arrancar um pedaço da roupa, que pode ser usado para rastreá-lo, já que está cheio de radioatividade.

Thea, enquanto faz seu trabalho como verdadeira prefeita, acaba se deparando com a moça da ArmTek conversando com Tobias Church, o vilão do episódio passado, e ouve os dois combinando a venda de um míssil, o que demonstra que essa moça não é tão do bem assim. Todos sabemos que o inimigo do meu inimigo é meu amigo, então se Ragman está atrás dela, ele só pode ser do bem. Oliver fica bem atento a isso e, quando vai parar a venda do míssil ao mesmo tempo que o Ragman, ele finge estar em perigo para testar se Ragman iria salvá-lo, o que ele faz. Oliver e Ragman conversam, com Oliver finalmente admitindo que precisa de um time e os dois comparando experiência sobre ter os pais mortos. No final conseguimos ainda mais um recruta par ao time, yay!

Só que tem um pequeno detalhe, Ragman não é qualquer um, mas o único sobrevivente de Havenrock, a cidade para qual a Felicity desviou o míssil na temporada passada. Ainda não a vimos lidando com isso, mas esse episódio já nos deu um gostinho do drama que vai rolar, com a Felicity lacrimejando ao ouvir Ragman falando sobre Havenrock. Eu prometo que, se tivermos pelo menos uma (1) cena da Felicity conversando com o Oliver sobre como Havenrock a afetou, eu vou assistir essa temporada até o final, sem ameaçar parar de ver.

De qualquer forma, mesmo que não seja com o Oliver, espero que ela fale com alguém, até mesmo com O Namorado está valendo, porque com certeza isso vai explodir uma hora. Aposto que em algum momento o Ragman vai descobrir que a Felicity desviou o míssil e o resultado disso não vai ser nada bom, mas desde que não a machuque e sirva para aprofundar essa história, porque só estou vendo a Felicity em negação, estou feliz.

john diggle 5x02


Por fim, temos os ex-membros do Team Arrow, com suas novas vidas muito boas. Thea está praticamente fazendo o trabalho do Oliver e tem algumas cenas muito fofas com Lance, em que ela escolhe dar uma nova chance a ele, dando-o a oportunidade de se reerguer e encontrar um novo motivo para ficar sóbrio. Yay, adorei.

Mas o mais importante mesmo é a parte do Diggle, que está lá no exército, pronto para invadir a Chechênia ou algo assim. Ele é sargento e vai comandar alguma missão aí cujos detalhes não importam tanto assim, o que importa é que ele faz um amigo, que é um jovenzinho que está com medo, afinal eles estão no exército e tudo mais. Diggle dá conselhos, porque ele é uma pessoa legal e nós vemos como o exército se tornou um lugar seguro para ele, Diggle até mesmo fala sobre obedecer e não ter que fazer escolhas, o que provavelmente é algo bom para ele que não quer pensar mais sobre como matou o próprio irmão na temporada passada.

O problema acontece quando a missão não vai nada como o planejado, já tem gente os esperando ali e, boom, plot twist parece que o próprio chefe do Diggle – capitão? Sei lá – estava por trás de tudo, querendo roubar um míssil, bomba ou sei lá para vender e ficar rico. Eles prendem Digg e matam o amigo sem nem pensar duas vezes, ainda fazendo com que Digg pareça culpado tanto pela morte do soldado quanto por ter roubado o míssil.

O episódio termina sem o Digg estar livre, mas suponho que ele não vai ficar assim por muito tempo, ele só precisa chamar os amigos super-heróis dele para salvá-lo agora. Mas se uma coisa está certa é que a temporada dele no exército já acabou mesmo, já que mais uma vez o lugar provou não ser o que ele precisava.

Eu só quero mesmo que o Digg volte, porque estou sentindo falta dele interagindo com Oliver e Felicity.

O Melhor:
+ Cena Olicity
+ Quero ver Felicity reagindo ao Havenrock
+ Parte do Digg no exército já acabando
+ Adorei os novos recrutas
+ Oliver no final pedindo desculpas e conversando com o Ragman

O Pior:
- Achei vacilo o Curtis dizer que o Oliver não respeitava o time anterior
- Métodos de ensino do Oliver são péssimos e espero que melhorem
- Sinto falta do Digg no Team Arrow
- Namorado da Felicity aparecendo. Qual é o objetivo da existência dele? E o nome dele é Billy? BILLY? Só me lembra o Bili da turma da Inbonha.


Nota: 9,0


Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1