Image Slider

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Review: iZombie 2x17 - "Reflections of the Way Liv Used to Be"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Reflections of the Way Liv Used to Be", exibido no dia 05/04/2016! 

izombie 2x17

Quase sempre tenho muita dificuldade em acompanhar todas as subtramas de iZombie, são sempre atiradas algumas pistas sobre o estado desta ou daquela subtrama fazendo-as parecer por vezes desconexas, hoje não foi uma destas vezes. 

Liv, para resolver o caso do dia acaba por ter de comer o cérebro de Bailey, uma rapariga com uma personalidade ambiciosa, impaciente, competitiva e agressiva (estamos juntos nessa Liv e Bailey!), muito parecida a que ela costumava ter antes de se tornar num zombie, trazendo um pouco da Liv que conhecemos por uns breves instantes na primeira season.

Durante a investigação, Liv encontra-se com Benedetto, um colega de Drake que está a investigar os casos relacionados as novas drogas que tenta convence-la a ocultar as informações sobre Bailey e Drake de Babineaux. Benedetto acaba por ser o vértice onde as subtramas de Mr. Boss (Utopium), Blaine (Lucky U) e Drake se encontram. Ele geria um grupo de informantes inexperientes que ele chantageava após os encontrar a cometer pequenos delitos relacionados a Utopium ou Lucky U, o que levou Steve, um dos seus informantes a matar Bailey, também sua informante após encontra-la com uma escuta. Steve era também distribuidor de Utopium e foi por sua vez morto por Chief. 

Em Shady Plots, Don E (que até hoje eu pensava que era Donnie) assume o comando e começa a distribuir Utopium com um confuso (ou não, dependendo se é apenas um truque) Blaine a trabalhar na recepção e Chief como os músculos da operação e até o que se viu negligenciado a distribuição de cérebros por Seattle. Sem Blaine para controlar os zombies que ele criou será que teremos um apocalipse zombie a caminho?

izombie 2x17

Vaughn “O pai do ano”, raptou Rita e prendeu-a por ela ser uma ameaça a humanidade e comprometeu-se a encontrar uma cura para ela, assim que a nova Super Max (capaz de fazer os zombies super-rápidos, não sei com que objectivo…) sair pro mercado, mais parecendo que a vai utilizar como mais uma das suas cobaias do que outra coisa. William Congreve (no seu e também meu machismo por concordar, sorry…) dizia “os céus não têm raiva como amor que em ódio se tornou, nem o inferno uma fúria como a de uma mulher desprezada” (Heaven has no rage like love to hatred turned, Nor hell a fury like a woman scorned), estou ansioso por ver a vingança de Rita.

Foi também bastante interessante ver Major dopado em cérebro de Leslie (a dona de Positivity) a “perdoar” Blaine e a tentar executar um plano maléfico junto de Ravi para transformar Vaughn em zombie e testar a cura aplicada em Blaine para se certificarem que a perca de memória é realmente um efeito secundário da cura.

Podemos dizer que este é um episódio de revelações: Major revela a Ravi as suas actividades extra para Vaughn (ainda assim, não mencionou o trabalho com Blaine), Ravi o informa sobre a segunda cura e os efeitos secundários que Blaine está a sofrer, Liv conta a Ravi e Babineaux que Drake era na verdade um polícia infiltrado na gangue de Mr. Boss, Ravi conta a Liv que Major é novamente um zombie e a Blaine todas as suas más acções justificando a maneira que todos o tratam, Benedetto conta a Babineaux que um dos informantes dele pensa que trabalha para zombies e a maior surpresa do episódio: a dona do canil onde Major colocou Minor (o cachorro) vai ter com a agente Dale e conta que Major deixou lá o cão fazendo com que ele seja preso antes de transformar Vaughn.

izombie 2x17
"Eu não estou matando pessoas!"
Costumo ser muito crítico sobre a maneira que a CW guia as suas produções, mas iZombie é definitivamente um dos casos de extremo sucesso, onde é bastante equilibrado o uso de drama, comédia, suspense, ficção científica e drama procedural. Nunca se levando muito a sério (olho para ti CSI) consegue juntar todas as subtramas e e manter o enredo da season interessante dando espaço para as personagens (que não são poucas) respirarem e interagirem.


O melhor
Não mencionei, mas o realizador deste episódio (Michael Fields) participou também em Veronica Mars! 
As interacções de Brody (de Zombie Bro) com uma Liv-Bailey
Major sobre o efeito Leslie e a reconciliação de #Rajor
Ravi, apenas por ser Ravi

http://cdn.fansided.com/wp-content/blogs.dir/280/files/2016/04/tumblr_o57df84mSb1rcn1qfo5_250.gif

O pior
A interacção de Peyton com Blaine foi (quase?) desnecessária

Nota: 9,0

Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Estou sempre à procura de mais uma série, afinal nunca é demais.

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1