Image Slider

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Review: Supergirl 1x14 - "Truth, Justice and the American Way"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Truth, Justice and the American Way", exibido no dia 22/02/2016!

supergirl 1x14

Depois do episódio passado maravilhoso, Kara ainda tem muito o que enfrentar. Apesar da pequena vitória contra os kriptonianos, sua tia morreu e, com a investidas de Non interrompidas para o funeral, a própria Kara está em seu período de luto, se assim podemos dizer. 

Ela não está lidando não fácil com o fato de "Hank" ter matado Astra, e fica dando patadas nele durante o episódio inteiro. Claro, Alex tenta contar a verdade ou pelo menos mostrar que está mal por ele estar sofrendo as consequências e não ela, mas Hank faz questão de manter a imagem que Kara tem da irmã. Pois é, se eu achava q a Kara ia perdoar a irmã mais fácil, estou vendo que não deve ser muito bem assim. Achei que Kara seria mais compreensiva, mas dá para entender como ela mesma sente que poderia ter ajudado a tia, sem ela precisar morrer; só sei que quanto mais tempo passar, mais a verdade vai doer quando Alex contar.

Além disso, outro ótimo tema sendo discutido: justiça. Quase tudo no episódio passa por isso e molda o caráter heroico de Kara. Preciso dizer que é muito bom ver como os escritores estão abordando assuntos importantes que fazem a personagem e todos telespectadores refletirem. Questões sobre a moral e como ser um herói não só ter poderes, algo que Jimmy expressa muito bem quando fala que, no fundo, a briga é entre os valores de Kara e os vilões. Nada impede a nossa Supergirl de usar seus poderes para destruir a todos senão seus valores. E se esses aos poucos forem deturpados, o que nos resta? 

É compreensível que pessoas tenham medo do tipo de poderes grandiosos que Kara têm. E é isso que vemos em Maxwell Lord. Por mais que ele não seja a melhor pessoa do mundo, esse medo do desconhecido e receio em confiar em um alienígena é algo totalmente plausível. 

supergirl 1x14

Desde o começo do episódio, Cat percebe o sumiço de Maxwell e estranha, colocando todos a investigarem se há algo errado com ele. Até a nova assistente (sim, acreditem, Cat contratou uma outra!) participa entreouvindo as conversas de nosso Team Supergirl. Isso nos abre portas para uma ótimo - e rara - conversa entre Jimmy e Cat sobre a profissão e a busca pela verdade. Cat se abre e conta sobre seu inicio de carreira. Por mais que ela tenha errado lá, ela percebeu que a busca pela verdade vai além da profissão, porque quereremos crescer como seres humanos, não só como jornalistas, e esse é o coração de cada história que escrevem. 

Siobhan Smythe é a tal nova assistente. Como um pequeno plot do episódio, vemos que Kara não consegue passar por ela de forma tão fácil. A garota é perspicaz e meio malvada com Kara, trazendo uma nova dinâmica de trabalho para a Kara, tadinha. Para quem sabe um pouco dos quadrinhos, no entanto, talvez Siobhan atrapalhe a vida da Supergirl também, já que é seu alter-ego é a vilã Silver Banshee. Só nos resta aguardar.

Jimmy continua a insistir que talvez Kara devesse soltar Maxwell para ele enfrentar as leis como deveria ser, mas Kara insiste que sabe o que é melhor. Maxwell é perigoso e deve ser detido para não machucar mais ninguém. Ahh, Kara acredita fielmente nisso e não dá o braço a torcer. Vemos um pouquinho daquela raiva que já vimos na protagonista, provavelmente isso só acumula com a dor da perda recente da tia.

supergirl 1x14

Assim, entramos no caso do dia: um alien serial killer. Vou explicar: quando a prisão de Fort Rozz deixou a Astra e Non escaparem, também deixou outros milhares de alienígenas caírem soltos na Terra. Com o tempo, eles foram se camuflando como pessoas normais e viviam suas vidas normais. O que não lembravam era que os guardas da prisão também estavam por aí e eis que encontram nosso 'serial killer'. O objetivo do guarda era dar a sentença de morte para todos os ex-prisoneiros de Fort Rozz.

Fica claro vermos o paralelo da situação de Kara e Maxwell com esse guarda que quer fazer a justiça com suas próprias mãos, quando o sistema legal que o dava 'direitos' já estava extinguido. Foi interessante ver como ele 'admira' Kara como superheróina, achando que, assim como a mãe, ela acaba com os vilões. Apesar da visão meio deturpada, acho que essa comparação já faz Kara perceber sua diferença em relação a ele. Ela não faz a justiça sozinha, achando que os vilões tem que pagar com a sua vida; ela os entrega para uma prisão com leis e formas de sustentar sua alegações contra quem quer que seja. 

No meio disso tudo, vemos um exemplo de redenção. O que restava para fazer Kara perceber que o que estava fazendo com Maxwell era errado. Depois de descobrirem a identidade do guarda/assassino, Kara acaba sendo feita refém. Ali, presa e sem poderes por causa da luz que imita o sol de Kripton, ela ouve a história do ex-prisioneiro. Ele não sente raiva de Alura por ter o mantado para a prisão, se arrepende do que fez e até se esforça para se enturmar na Terra, falando gírias e ditados populares.

supergirl 1x14

Ele é um professor e ensina sobre a única coisa que sabe mais que os humanos: as estrelas. Ele ainda complementa falando: "Uma tragédia não pode ser desfeita por outra". Esse depoimento faz Kara perceber o quanto pode estar exagerando quanto a Max e finalmente entende o que Jimmy queria dizer esse tempo todo. 

Não podemos esquecer do projeto Myriad. Kara resolve perguntar para a Inteligência Artificial de sua mãe sobre isso e ele ameaça se autodestruir. Se ninguém tinha ligado para isso, agora com certeza estamos curiosos. 


O melhor
Ótima luta entre Kara e o guarda de Fort Rozz.
A temática do episódio.
O papel de Jimmy como consciência de Kara.
Cat conversando com Jimmy. 
A conversa entre o ex-prisioneiro de Fort Rozz e Kara. 

O pior
Por que o policial/guarda da prisão iria dar as informações das mortes para o Hank e a Alex? Para tirar qualquer suspeita? Porque o que ele fez foi foi totalmente o contrário e ajudou os dois a chegar até ele. 
A mentira sobre quem matou a Astra. Falem logo a verdade, por favor. 

Nota 9,0

Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Estou sempre à procura de mais uma série, afinal nunca é demais.

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1