Image Slider

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Dica da Semana: Perdido em Marte

filme perdido em marte
Vou começar assim (e sem nenhum arrependimento, diga-se de passagem): Matt Damon arrasa em Perdido em Marte!

Claro, temos outros atores muito bons no filme, como a querida Jessica Chastain (que é ótima), mas eles não chegam nem perto do charmosíssimo protagonista. Não significa que não consigam prender nossa atenção, só que ela inevitavelmente volta para o homem preso à sei lá quantos anos-luz de casa (convertendo para quilômetros, seriam 9,5 trilhões!) num planetinha vermelho sem água, comida ou oxigênio suficientes.

Isso foi meio que spoiler? Acho que não. O título já deixa bem clara a premissa do filme, não é? Bem, se não ficou 100% 'entendível', aqui vai um resuminho:

Durante uma missão em Marte, o astronauta (e botânico) Mark Watney (Matt Damon) é dado como morto depois de se perder no meio de uma tempestade horrorosa. Deixado para trás por sua equipe, Watney encontra-se sozinho e abandonado com algumas provisões e a sua sagacidade. Apesar de saber que as chances de ser resgato são ínfimas, Watney resolve lutar para sobreviver.

Você sabe qual é o final? Talvez. Mas isso não torna a história menos interessante ou chata. Pelo contrário, você sabe que ela tem que ser absolutamente fantástica para prender sua atenção. Desenvolvida para ser o mais verossímil possível, Perdido em Marte entrega bem mais do que o esperado. Sem vilões caricatos (ou sem vilões at all, dependendo de como você vê), com gracinhas aqui e ali e ... , o longa-metragem é quase um slice of life. Em Marte, claro.

filme perdido em marte

Os atores - como mencionei anteriormente - são muito bons. Mas a maioria só meio que está lá. É a história de Mark que você quer acompanhar, seguida do que está acontecendo na Terra. Mas as cenas que acontecem em solo terráqueo não tem um ator ou personagem em particular que se destaque do resto. E talvez isso seja bom! Porque se por um lado não esperamos ansiosamente pela pessoa X, Y ou Z, nós vemos o grupo. Indivíduos diferentes, com especializações e funções diferentes, se juntando - tentando seu máximo - por um objetivo comum: salvar Mark Watney.

Em algum momento do filme, alguém menciona que talvez não valha a pena ir tão longe por um único homem. E - sabe - isso é lógico. Mas não é certo. Quando você olha para a tela e vê o mundo vibrando, torcendo, para que a NASA traga seu astronauta de volta para casa... Você acaba se misturando na muvuca. Acho que poucos filmes são capazes de fazer isso. Especialmente filmes que se passam no espaço e acabam, assim, tendo uma narrativa mais lenta.

O diretor Ridley Scott acertou em cheio com Perdido em Marte. Está de parabéns. Ele guiou a história com maestria ímpar, nos levando em uma jornada interestelar palpável e arrebatadora, com os pés muito firmes no chão (de alguma forma) durante todo o processo.

Os cenários, lindos, e a música, alternando entre o hilário e o sensível, complementam bem a história que contam. Mais que isso, ajudam a ditar o ritmo.

filme perdido em marte

Enfim, existem muitos - muitos! - motivos para ver o filme. Matt Damon, Jessica Chastain, os cenários, ver as tecnologias legais que são usadas, as gracinhas... Enfim! Vejam, ok? Super vale a pena. Bem... Talvez não pelas musicas disco. (Brincadeira).


Thaís Cabral - Estudante de Publicidade, pseudo-escritora, leitora compulsiva e chocólatra. Gosto de séries de TV (americanas e/ou britânicas), filmes e anime/mangá.

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1