Image Slider

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Dica da Semana: Trilogia O Século

Oi! Tá na hora de outra dica! Dessa vez, vou falar de uma trilogia da qual gostei muito. Eu e mais um montão de gente, para ser honesta, pois fez um baita sucesso. 


A Trilogia "O Século" - como é chamada - consiste numa história geracional que se desenrola durante o século XX. Já no primeiro livro, Queda de Gigantes, conhecemos as cinco famílias que acompanharemos. Uma galesa; uma inglesa; uma russa; uma americana; uma alemã. Elas tem seus destinos irrevogavelmente conectados e entrelaçados ao longo da trama.

Aqui está a sinopse do primeiro livro:

"Cinco famílias, cinco países e cinco destinos marcados por um período dramático da história. Queda de gigantes, o primeiro volume da trilogia 'O Século', do consagrado Ken Follett, começa no despertar do século XX, quando ventos de mudança ameaçam o frágil equilíbrio de forças existente – as potências da Europa estão prestes a entrar em guerra, os trabalhadores não aguentam mais ser explorados pela aristocracia e as mulheres clamam por seus direitos. De maneira brilhante, Follett constrói sua trama entrelaçando as vidas de personagens fictícios e reais, como o rei Jorge V, o Kaiser Guilherme, o presidente Woodrow Wilson, o parlamentar Winston Churchill e os revolucionários Lênin e Trótski. O resultado é uma envolvente lição de história, contada da perspectiva das pessoas comuns, que lutaram nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial, ajudaram a fazer a Revolução Russa e tornaram real o sonho do sufrágio feminino." 

Antes de falar dos personagens, que são muitos e por isso não vou me aprofundar tanto neles, quero falar um pouquinho dos livros no geral. 

São três, em primeiro lugar. Óbvio, né? É uma trilogia. 


Cada um deles narra um período histórico mais ou menos específico. Não é difícil adivinhar quais esses ditos períodos são. Queda de Gigantes engloba a Primeira Guerra Mundial; O Inverno do Mundo, a Segunda; e Eternidade por um Fio trata da Guerra Fria. O último, com mais ou menos mil páginas, é o maior. Honestamente, também é o mais cansativo. Acho que estava lá pela 806ª página e pensando que jamais ia acabar. A realidade é que os personagens não ajudam, e nem o desenvolvimento da história. Talvez seja devido à um punhado de motivos, mas vou resumir minha opinião à isso:

Os personagens não são bem desenvolvidos e muitas vezes você se questiona onde diabos eles estavam com a cabeça. Mais de uma vez tive vontade de sacudir um deles. Além disso, eu tive a sensação de que tiveram muitas cenas de sexo desnecessárias, gravidez demais e que os personagens foram divididos entre "bons e maus"; o que não acontece no primeiro livro e nem mesmo no segundo, embora já tenhamos indícios disso.

O primeiro, menor mas ainda assim detentor de incríveis 900 páginas,  tem uma leitura mais dinâmica. Li em 2 ou 3 dias. Mas isso é porque quando comecei não consegui mais largar. Além disso, não tenho vergonha nenhuma em admitir que os melhores personagens, para mim, são os da "primeira geração". Eles são os mais bem desenvolvidos e aprofundados, isso para não dizer que não existe "branco e preto" com eles, nem temos vilões e mocinhos como normalmente acontece. Diga-se de passagem, sou fã de carteirinha da Ethel. Comemorei sempre que ela aprecia nos outros livros também. 

Bem, nesse livro, somos espectadores da Primeira Guerra. Mas isso não quer dizer que só se trata da guerra. Ao contrário, também somos testemunhas de vários outros eventos: a luta pelos direitos das mulheres, a revolução russa, etc. O mesmo ocorre no segundo livro, embora esse seja realmente mais focado na Segunda Guerra. O terceiro livro, por sua vez, fala sobre tudo um pouco: movimento negro nos EUA; Sexo, Drogas e Rock n' Roll (não, não estou inventando) e do Muro de Berlim, por exemplo. Acho que, sem querer, o último livro deixa algumas coisas de fora - mas é que acontece muita coisa no final do século! Então, nem me deixo incomodar muito com isso.

Bem, sem querer, acho que acabei falando dos personagens, huh? Bem, fazer o quê, as vezes é inevitável. Nesse caso, foi.

É bem difícil falar dessa trilogia porque tem acontece bastante coisa nos livros, como eu imagino que vocês tenham percebido. Mas, também, falar sobre um século inteiro não é fácil. A única coisa que posso assegurar é que:

1) É uma história sensacional, e tem personagens fantásticos.
2) São muitas e muitas páginas. Prepare-se!
3) Você vai sentir raiva às vezes - é normal. 
4) Você vai se sentir orgulhoso pra caramba quando perceber que consegue ler quase três mil páginas.
5) Chances gigantescas que você vai gostar.

Ah! Quanto ao autor, Ken Follett, ele tem muitos outros livros aos quais estou ansiosa para ler. Vários parecem ter algum pano de fundo histórico, o que acho bem interessante. É um pouco como o Bernard Cornwell (outro excelente escritor). Quanto ao estilo de escrita, é relativamente simples. Nada elaborado demais ou coisa do tipo, de modo que, no geral, a leitura flui rapidamente.

Então, dê uma chance, ok?

Thaís Cabral - Estudante de Publicidade, pseudo-escritora, leitora compulsiva e chocólatra. Gosto de séries de TV (americanas e/ou britânicas), filmes e anime/mangá.

Um comentário:

  1. Adorei! Fiquei super curiosa, mas trilogia é um problema... falta de tempo hahahaha
    Bjs

    ResponderExcluir

 
UA-48753576-1