Image Slider

domingo, 12 de julho de 2015

Dica da Semana: Divertida Mente

A Pixar é conhecida por sua excelência. A Disney também. Mas "Divertida Mente" consegue superar todas as expectativas. Com personagens um pouco diferentes e uma história inovadora (e surpreendentemente madura), a combinação Disney-Pixar é encantadora. Lançado esse ano, "Divertida Mente" é o tipo de animação que dá para aproveitar independente da sua idade.


Sinopse: "Divertida Mente" conta a história de Riley, uma alegre menina de 11 anos. No entanto, quando tem que se mudar para San Francisco por causa do emprego do pai, sua vida vira de ponta cabeça. Nova casa, nova escola, novos colegas - ninguém nunca disse que seria fácil.

Então... O que posso dizer? Que chorei que nem um bebê na sala de cinema? Que fiquei assustada com o quanto me identifiquei com o tema do filme? Poderia dizer tudo isso (na verdade, já disse), mas quero focar em outras coisas!

Em primeiro lugar, com Amy Poehler e Mindy Kaling no filme, já dá para saber que algumas risadas gostosas nos aguardam ao longo de 1h30 de filme. Afinal, são dois nomes de peso na indústria da TV.
Vou aproveitar e recomendar a série Parks and Rec, na qual Pohler é a protagonista. #fikaadika
Em segundo lugar, quero dizer que a animação é muito fofa. E, sim, me refiro ao "desenho". Os personagens, então, são adoráveis. E embora só dois sejam realmente bem desenvolvidos (a Alegria e a Tristeza), os outros três são, no mínimo, engraçados (particularmente, adorei a Nojinho).

Ai, gente. Diz que não é fofo. Não dá, né?


Okay. Agora, por fim, quero falar do tema do filme. Se eu disser aqui, no entanto, posso acabar estragando o filme para quem ainda não viu. Então, tentarei não falar ao mesmo tempo em que falo dele. Confuso? Talvez, rs.

Como não sei se vou conseguir... SPOILER ALERT!

O tema da nova animação da Disney-Pixar é algo...  Complicado. De uma forma leve e descontraída, levando em consideração o "desenho" e o comportamento/diálogos/etc., eles tratam de um assunto sério. Ou talvez até dois ou três, se pararmos para pensar:
  • Fala sobre como a Tristeza é um sentimento importante (basically). Até porque ninguém pode ser feliz 100% do tempo, né? Não rola, gente.
  • Nos mostra como, às vezes, tudo que precisamos fazer para aqueles sentimentos confusos e angustiantes desaparecerem, é pedir ajuda. Eu sei que é difícil, mas qual o problema em pedir ajuda?
  • É um filme sobre amadurecimento. E sobre as dificuldades que existem na transição de um mundo para o outro. Crescer nunca foi fácil.
Quando paro e penso sobre "Divertida Mente", eu honestamente acho que é um filme que as crianças podem até gostar (e muito), mas que são os adultos é que vão entender de verdade a mensagem por detrás das piadas e do colorido. Não que às crianças não possam entender, mas acho que elas o farão através da Riley, na análise do seu comportamento e identificação própria com a personagem. E não com uma visão geral do filme. Ok, posso estar errada. Mas é o que acho. Só acho. Da cabeça dos outros, não entendo. Só da minha mesmo, e, ainda assim, nem tanto, hein?

Se tem uma coisa que "Divertida Mente" me ensinou, é que lá em cima é uma bagunça. Mas... Obrigado Alegria, Tristeza, Nojinho, Raiva e Medo. Que seria eu sem vocês?

Um brócolis, provavelmente.



*Se quiserem mais um gostinho do filme, vejam essas curiosidades e trailers (1/2)! Vocês vão adorar!


Thaís Cabral - Estudante de Publicidade, pseudo-escritora, leitora compulsiva e chocólatra. Gosto de séries de TV (americanas e/ou britânicas), filmes e anime/mangá.

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1