Image Slider

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Review: Game of Thrones 5x07 - "The Gift"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "The Gift", exibido no dia 24/05/2015!

Depois de passar quase uma temporada inteira com a abertura sendo seu momento mais emocionante, Game of Thrones reagiu, e enfim, esquentou as coisas. Depois de parecer uma eterna introdução, esse sétimo episódio veio cheio de acontecimentos que mostraram o desenvolvimento de muitos personagens e que prometem dar a guinada final que essa season tanto precisa.

sam and gillyComeçando no frio da Muralha, podemos ver que lá em Castle Black as coisas se agitaram um pouco. Jon Snow partiu com Tormund para uma negociação com os povos do Norte e com isso, Sam que acaba sofrendo. Além de ficar sem seu amigo, Mestre Aemon, seu outro companheiro morreu, assim, só restando Gilly como sua aliada, fato que obviamente, traz problemas. Gilly foi quase estuprada por dois rivais de Jon e Sam e a melhor coisa nessa cena foi ver ele provando seu valor. Mesmo sem saber lutar, Sam tentou interferir e defender a moça e claro, apanhou muito. Mas, mesmo assim, ele resistiu e quando estava prestes a ganhar uma segunda rodada de sopapos, Ghost aparece, surpreende todo mundo e acaba com a palhaçada. Foi legal ver essa interferência de Ghost, nos dando a impressão que Jon quis lembrar que não abandonaria seu amigo.

Como depois da tempestade vem a bonança, após toda essa confusão Gilly foi cuidar de Sam e rolou todo aquele clima e pronto, mais um patrulheiro quebrando as regras e mostrando que o juramento não é lá muito seguido. Olhando além, foi uma cena muito bonita e cheia de significados, mostrando um homem ao invés de uma mulher em sua primeira vez. Gostei bastante de como a direção e o roteiro deram uma delicadeza toda especial ao momento.

Continuando em terras frias, chegamos em Winterfell, onde as coisas não estão nada bem para Sansa. Os braços roxos e a eterna cara de choro mostram a Stark vem sofrendo nas mãos de Ramsay Bolton e além desses abusos físicos, a personagem vem sofrendo um grande abuso psicológico. Imagina que mind blow você ser prisioneira em um lugar que você cresceu vendo como uma casa, estar rodeada de inimigos e de perigo e ao mesmo tempo, depende deles pra continuar viva… Diante de tudo isso, Sansa apela para a ajuda de Theon, pedindo que ele acenda a vela, sinal de que ela está pedindo ajuda aos nortenhos.

Eu jurava que a conversa dela com ele iria funcionar, mas, não. Theon voltou a ser Reek e correu para entregar tudo a Ramsay, que exercendo toda a sua psicopatia, com todo gosto, foi lá e matou a senhorinha que ofereceu ajuda a Sansa. Triste. Eu quero que ele morra e fica a dica pra quem fizer isso: Esfolem ele, por favor! Agora, a minha esperança para que as coisas melhores para a Ruiva Stark está depositada em Brienne e Podrick, que estão observando tudo de longe.

melisandre stannisStannis continua na sua caminhada e gostei muito de vê-lo finalmente se posicionando em relação a Melisandre. A doida da fogueira está sem limites algum e está se mostrando cada vez mais desnecessária, como assim ela queria matar Shireen? Não seja! Shireen é a melhor pessoa. (~<3) Adorei ver Stannis se impondo e mostrando que com a filha dele não pode mexer, até porque, como ele mesmo disse, nada do que Melisandre e seu Senhor da Luz indicaram anda dando muito certo até agora. Torço para que eles cheguem logo a Winterfell e que gerem uma distração para que Brienne possa ajudar Sansa.

Tivemos um breve momento em terras Dornesas, com Jaime tentando convencer a filha a voltar com ele. Mas, a pequena princesa em meio a tanta ingenuidade e amor pelo príncipe Trystane, não consegue enxergar o perigo que corre no meio desse conflito entre leões e serpentes, deixando Jaime desolado e parecendo se lamentar internamente por não ter sido um bom pai para ela. Já na prisão, as coisas foram mais interessantes, enquanto Bronn cantava, Tyene resolveu brincar um pouquinho com ele a exibir os seus peitos (cumprindo a cota de peitinhos do episódio). Toda essa exibição fez o pobre Bronn ficar um pouco nervouos, fazendo com que seu metabolismo acelerasse o efeito do veneno contido na adaga dela e que passou pra ele depois de um corte na luta do episódio anterior. Mas, depois de uns momentos de sofrimento, ela resolveu dar a Bronn o antídoto. É, vamos ver no que isso vai dar.

the lannisters

Colocando essa imagem só pra ressaltar que achei a fotografia dessa cena simplesmente linda!
Seguindo viagem, aportamos em Meereen, por aqui, as coisas andam em um nível bem interessante. Sir. Jorah foi vendido e eu achei que mais uma vez Tyrion fosse ficar só, mas, provando mais uma vez toda sua inteligência, oratória e poder de persuasão, conseguiu ser levado junto. Assim, eles foram levados para a Arena, onde haveria as lutas. Lá, estava a Mãe dos Dragões e quando a viu, Jorah resolveu que sambaria na cara de todos na mesma hora. Entrando no meio da luta, ele mitou, mas, eu confesso que queria ver ele descendo a espada em todo mundo que tava por ali com mais gosto. Cadê sangue e cabeças rolando? Faltou! Mas, seguindo: ele revelou-se para a Rainha, que logo pediu que tirassem ele dali. Antes dela terminar seu teatrinho de repúdio, Tyrion se apresentou como o presente que Jorah tinha trazido para ela. Pra mim, esse foi o clímax do episódio, ansiosíssima para saber o que um leão e um dragão farão juntos.

Inclusive, a Daenerys tem uma vida com mais altos e baixos que uma montanha russa. A mocinha mais querida pelos fãs parece que não sabe o que é se dar bem na vida né? A pressão em torno da Rainha dos Ândalos parece aumentar cada vez mais e mesmo com seus 500 mil títulos e sendo a figura mais poderosa de Meeren, ela ainda não tem as rédeas da própria vida, por isso, não poderia deixar de citar a bela sacudida que Daario deu nela quando disse que apesar de ser uma pessoa que lutou tanto pela liberdade do seu povo, é a única que não é livre pra fazer aqui que quer. É Exatamente isso.

Já em King’s Landing, Lorde Baelish e Lady Olenna fizeram uma aliança extremamente interessante. É sabido por todos que os Lannister só estavam no poder por causa do falecido Tywin, sem ele, não resta um leão apto a manter o poder da família. Tyrion é inimigo da coroa, Myrcella está em Dorne, Jaime não pode assumir nada por ser cavaleiro, Tommem é um grande banana e Cersei age com mais emoção que uma garotinha de 15 anos. Ou seja: Westeros está nas mãos do Alto Pardal. Nem todo o financiamento que os Tyrell oferecem para King’s Landing foi suficiente para convencer o Alto Pardal a libertar Loras e Margaery. Mas é bem ai que Baelish entra no jogo e mais uma vez muda tudo.

Após uma visitinha de desdém ao melhor tipo Cersei Lannister, a Rainha Mãe é presa e jogada em meio a gritos de “I am the Queen” (acho que já é uma frase clássica de toda Rainha né) em uma cela tão suja e escura quanto a de Margaery. Será que agora começará a cadeia de reviravoltas contra a bitch mais louca dos Sete Reinos? É esperar pra ver o que esses três últimos episódios de GoT nos guardam.

Diante de tanta reviravolta e acontecimentos, pra mim, esse foi o melhor episódio da temporada até agora, Sendo assim, deixo uma nota 8,0 para “The Gift”. 


Misturamas/ Autor: Thainá Dayube A resenha está em um modelo diferente do qual usamos porque foi posteriormente postada pelo nosso site parceiro Misturamas. A repostagem foi autorizada pelo autor e blog. 

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1