Image Slider

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Review: Gotham 1x20 - "Under the Knife"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Under the Knife", exibido no dia 20/04/2015!

charade


É, pessoas! Final de temporada chegando e Gotham cada vez mais eletrizante! Os episódios vão saindo e vou ficando mais e mais empolgado com essa série! E não digo isso somente pela construção dos personagens, mas sim pela trama como um todo. Enfim, vamos começar!

Primeiramente vamos falar do casal precoce da série: Bruce e Selina (muito gatinha, rs). Gostei bastante da interação dos dois como um todo, porém tudo nesse núcleo é muito exagerado. Vou me explicar. Para vocês me entenderem, farei perguntas: Selina é mesmo tão madura a ponto de ignorar facilmente um homicídio doloso? Cara, como assim? Ela matou o Reggie no episódio anterior e neste declara ao Bruce que não tem remorso nenhum? Outro ponto: Foi sensacional ela pegando a chave do terno do Bunderslaw, tenho que admitir. Mas vamos combinar uma coisa aqui: O molho fez até barulho tanto na hora que ela pegou quanto na hora que colocou as chaves de volta, e aí o cara nem percebeu? Último ponto: Não deu para contar quantas, mas com certeza havia mais de uma chave ali. Como ela sabia qual era a certa? Como eu disse, núcleo exagerado. James Bond mode: ACTIVATED.

Como último item, só tenho a dizer que todos os diálogos e ações entre os dois, apesar dos apesares, são bem construídos e eu não consigo vê-los como Selina e Bruce e sim, como Catwoman e Batman. Sei lá, simplesmente não consigo.

selina and bruce
Finalmente, Barbara volta à série. Tenho que confessar que eu acho a atriz Erin Richards muito bonita, mas parece que a cada vez que ela some e volta a beleza aumenta. Achei muito bom como introduziram ela no episódio com troca de cena do “Eu te amo” de Gordon (Thompkins de toalha, ah Deus...) para o encontro dela com o Ogro. Outro destaque é a interação dela com Selina. As interações entre personagens do sexo feminino na série são escassas e quando ocorrem na maioria das vezes são interessantes. Gosto de Barbara e Selina. Coloquem mais! Assim, poderiam ter mostrado a Barbara vestindo a Gatinha e ensinando o poder da sensualidade feminina para a menina, mas simplesmente ignoraram isso. Infelizmente.

O primeiro encontro com Ogro foi turbulento e frustrante por ambas as partes. Ele perdeu o tesão quando percebeu que ela e Jim haviam terminado (certeza, rs). Ela, dramática como sempre, se fazendo de coitadinha e tudo mais (tenho preguiça disso!). Porém, o segundo encontro já foi melhor. Esse vilão é foda e os seus argumentos ganharam Barbara facilmente. Querendo ou não, ele a entende, digamos assim. Até aí, tudo certinho. O que eu NÃO entendo é ELA ver uma sala CHEIA DE INSTRUMENTOS DE TORTURA (em negrito e CAPS LOCK, para vocês verem a minha indignação!) e ficar tranquila com a situação. Sei lá, talvez ela leu 50 tons de cinza e acha que vai rolar algo parecido. Mas brincadeiras à parte, alguém me explica o porquê daquela reação?

barbara gotham


Vamos ao núcleo principal. Gordon, preocupado com a Leslie, a manda para fora de Gotham. E pensar que um dia ele fez a mesma coisa com a Barbara hein? Não teve como não lembrar. Só que a doutora é esperta e acaba aceitando ir (pelo menos foi assim que eu interpretei né?).

Achei muito legal mostrarem a tenente, chefe da dupla dinâmica, interessada em resolver o caso dessa vez. Geralmente ela sempre quer fazer o Gordon desistir e etc. Outro que também é um grande pessimista, mas se mostrou empenhado é Harvey. Gostei bastante disso.

Investigando, eles chegam até o pai do Ogro e a história do vilão é contada. Eu, particularmente, não a conhecia (leio quadrinhos, mas mais da Marvel. Desculpem!). A questão da cirurgia plástica foi meio forçada, contudo fui convencido. O telefonema recebido, a encarada entre ele e Ogro através do vidro do carro, tudo foi muito bem posicionado no decorrer do episódio. Por fim, Gordon genialmente percebe que Jason Skolimski está com Barbara, entretanto é tarde demais. Resumindo: Não tivemos aquela porradaria nem brutalidade do nosso protagonista e ainda assim fiquei contente com o que vi.

Pinguim está mirabolante. Matar Maroni não está sendo uma de suas melhores ideias. Isto é comprovado quando ele recebe uma visitinha. Inteligentemente, Sal percebe que Oswald está movimentando os seus palitinhos e, para não ficar atrás, cutuca o seu ponto fraco: Sua mãe. Cara, como fiquei surpreendido com as cenas. Maroni falar todas aquelas verdades (como sabemos) para Gertrud foi FODA PRA CACETE! Filhadaputagens a parte, sabemos que Pinguim não deixará por isto mesmo e o que era raiva se transformou em ódio por Maroni. O interessante de tudo nesse núcleo é vermos que ambos os lados estão dispostos a fazer o que puderem para se destruírem. Até o final da temporada teremos muitas surpresas nesse núcleo. Posso chutar alguns personagens suspeitos: Butch, o novo capanga de Oswald e até mesmo Jim, visto que deve um “favor” para o Pinguim. Esperemos.

pinguin

Para findar esta review, o mais surpreendente: Nygma. Desde a primeira aparição, até a última eu fiquei surpreso. Ele sempre divertido e tudo mais, mas precisava mesmo de um boost na série. Não poderia ter sido feito de uma maneira melhor. Matar o agressor de seu amor, fazer justiça com as próprias mãos é algo nobre. Mas o buraco é mais embaixo. Vemos ali que ele gostou de matar. Uma mistura de insanidade e prazer que sabemos bem que o Charada possui. Curioso para ver a reação de Kringle e como será o comportamento de Ed nos próximos episódios.

O melhor
+ Selina e Bruce
Thompkins de toalha, rs
+ Barbara linda e Selina Gatinha
+ Gordon, Harvey e Sarah Essen
+ Ogro FODA
+ Maroni e Pinguim

O pior
- Barbara, a mulher sem medo
- Selina sem remorso
- Fish, cadê você?

Nota: 9,5

Pedro Henrique Sales Tão viciado em séries quanto em ser feliz!

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1