Image Slider

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Review: Gotham 1x19 - "Beasts of Prey"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Beasts of Prey", exibido no dia 13/04/2015!

detective gordon

FINALMENTE temos a volta de Gotham, senhoras e senhores! Ah meu Deus, não aguentava mais esse maldito hiatus. E essa espera não poderia ser mais bem compensada como foi em Beasts of Prey. Sensaciofuckinal! Sem mais delongas, let’s move!

Logo no começo do episódio, vemos Fish (confesso que ainda não me acostumei com esses olhos de cores diferentes). Ela tenta sair do “calabouço” e se depara uma “equipe” que evita escapatórias. Não fui muito convencido por esse “Catcher”. O diálogo entre os dois é até interessante se levarmos em consideração a sagacidade de Fish. Além de ser bruta, ela nunca perde o senso de humor!

Ainda sobre ela, vamos ao plano de escapatória. Quando ela conversa com os brutamontes sobre a questão do barco e tudo mais, eu já esperava que fosse mentira e que eles serviriam de isca. Primeiro, porque estamos lidando com a Fish, então por favor né? Segundo: há uma cena na qual mostra ela falando com o Kelly (rapaz que ela entregou no último episódio), então de certa forma ficou um pouco previsível. Apesar disto, não deixou de ser FODA.

Este “FODA” foi desde o início da execução do plano. Os dois encontros com o doutor Dulmacher Dollmaker foram espetaculares. Aquele teatrinho no primeiro, quase me convenceu de que era sério. No segundo, o pessoal batendo nele... assim, poderiam ter matado né? Deixar um cara daquele vivo é muito perigoso. Com certeza teremos mais Dollmaker em Gotham. Para finalizar, Fish foge com a galera utilizando um helicópter e toma um tiro de rifle do Catcher. Não sei, mas quando vi a cena, tive a impressão de que isso é um começo para a morte de Fish. A atriz Jada Pinkett não renovou para a segunda temporada e isso pode acarretar a morte da personagem, infelizmente.

gotham
Vamos falar de Gordon. Começando pelos relacionamentos. A Thompkins é linda, já falei isso em reviews anteriores, mas vamos combinar uma coisa aqui: O relacionamento dos dois é fraco demais. O vínculo é fraco, os diálogos ainda mais. É bom ver o protagonista ficando com alguém? Sim, claro. Gostamos disso. Mas por favor, que coisa mais sem sal! Ah nem, vamos melhorar isso aí. Com Harvey, ocorre o contrário. Cara, como é hilário ver ele tirar sarro do Jim. Frases como: “Voando tão perto do sol, vai se queimar” e “Não diga isso. Você vai deixar o Jim com ciúmes” (no necrotério) me divertiram bastante. Além disso, o diálogo entre eles é o clássico de parceiros que se contradizem a todo momento, mas não vivem sem o outro. Muito bom mesmo.

Agora sobre o caso do episódio. Gordon promovido e, querendo provar que tudo vai ser diferente em GCPD a partir de agora, decide reabrir um caso. E é aí que eu paro por aqui e digo: Milo Ventimiglia como vilão. Excelente! Eu gosto muito desse ator e o seu personagem neste episódio (Ogro) me lembrou muito o que ele fez (Ted Grey) em Pathology (Autópsia de um crime). Apesar de ter feito um herói em Heroes (Peter Pretrelli), ele leva jeito para ser psicopata. Achei muito bom o seu serial killer (nada comparado ao Dexter, mas...) e, como Gordon não conseguiu captura-lo, teremos mais dele nos próximos episódios (eu espero). O que achei de interessante nesse caso foram as cenas de como ocorreu o assassinato, algo que não tinha acontecido nos 18 episódios passados da série. Explicação para isso? Evolução, pessoas. Evolução.

gothamGordon descobre que tudo foi uma armação de Loeb para que Ogro mirasse Thompkins. Como um grande macho alfa deve ser, Jim vai atrás do Comissário e dá-lhe uma peitada. Puts, eu pirei. Literalmente, tudo se resume a: “Eu vou encontrar o Ogro e vou colocá-lo atrás das grades e quando isso terminar, vou vir atrás de você! Vou atrás de você, Comissário! Você está acabado!”. James Gordon nível: GODLIKE!

Outro núcleo que me deixou de cabelos levantados foi o de Bruce. Neste episódio, representaram muito bem o modo Batman que existe nele. Até mesmo a parte em que ele não consegue empurrar Reggie (maldito! Alfred, melhoras!) representou o Batman. Também me agradou o seu trabalho em equipe com Selina. A atuação de Camren Bicondova como a nossa gatinha está me surpreendendo. A interação dela com Bruce está sendo muito bem construída e vemos isso de uma forma clara no episódio, principalmente na parte do interrogatório ao Reggie. Acho que a tendência é que eles se aproximem cada vez mais e concretizem na série o laço que conhecemos entre os dois (Catwoman e Batman).

selinaNão menos importante, temos Pinguim. Oswald “adquiriu” (no mais clássico jeito Cobblepot de ser) um lugar novo e que, levando em consideração o que ele falou, Maroni teve um passado ali e por isso, quer mata-lo naquele local. Que ele iria querer se vingar, todos já sabíamos, mas a questão é: Como o fará? Maroni, juntamente com Falcone, é um dos homens poderosos em Gotham e, presumo eu, não será fácil Oswald pegá-lo. Se acontecer, nosso Pinguim vai dominar uma grande parte de Gotham e a próxima vítima será Carmine, com certeza. É esperar pra ver. Ansioso.

O melhor:
+ Jim Gordon peitando Loeb, PUTA QUE PARIU!
+ Milo Ventimiglia como Ogro
+ Selina e Bruce
+ Fish fugindo e levando a galera
+ Sagacidade de Harvey

O pior:
- Dollmaker não morreu
- Alfred, melhora logo!

Nota: 9,6

Pedro Henrique Sales Tão viciado em séries quanto em ser feliz!

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1