Image Slider

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Review: Agents of SHIELD 2x17 - "Melinda"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers dos episódios "Melinda", exibido no dia 14/04/2015!

melinda may

Agente May, mais conhecida como a Cavalry. Assim que a agente é conhecida e tudo está ligado à Bahrein. Demorou, mas, com esse episódio, finalmente descobrimos o que aconteceu naquele dia que fez Melinda 'perder ela mesma' e mudar tanto. Esse é o flashback do episódio e um de seus plots. Tudo se passa sete anos trás. Vemos May feliz com Andrew e os dois querem ampliar a família. Coulson chega na casa deles e ele e Melinda viajam para mais uma missão. Não é muito difícil de adivinhar qual é, não é mesmo?

Bahrein. A missão? Convencer uma inumana com uma força grandiosa à se entregar. O plano? May e Coulson vão para suporte estratégico, enquanto o grupo 'estilo swat' fica à postos, se algo der errado. Claro que não conseguem convencê-la tão bem, só na conversa como Phil queria, e a mulher acaba fazendo reféns - uma menina e um agente local. Isso mexe com May, ainda mais para alguém que está tentando ter filhos. Então a equipe equipada, a Cavalry ('cavalaria'), entra no prédio para salvá-los. Não adianta nada, mais uma vez, e, sem nenhuma resposta do grupo, Melinda resolve entrar e usar suas habilidades para tirar seus colegas de lá.

Nossa querida agente adentra aos poucos, pegando cada homem de guarda desprevenido. Logo ela  encontra todos hipnotizados, de certa forma, pedindo pela dor de May. Contornando a cena suspeita, Melina finalmente chega na fonte do problema: Eva, a tal mulher com superforça. A luta, claro, não é fácil, mas May resiste e inclusive atacar a inumana com um golpe mortal. Agora, é aí que ela percebe que o problema mesmo estava onde (ou melhor, em quem) ela menos esperava: a garotinha. Eva era sua mãe e na verdade aquilo não foi um sequestro, só atuação. A garota tem o poder de controlar os sentimentos e a dor de cada um, só com o toque, e não tem medo de usá-lo. May se depara com uma arma e também com uma escolha. No fim, Melinda teve que fazer, para se defender, o que qualquer mãe em potencial (ou pai ou qualquer um, na verdade) odiaria fazer. 

A próxima cena que vemos é Melinda sendo encontrada por Coulson no meio de vários corpos caídos no chão. Todos podem ter visto aquilo como o sucesso de May, e como ela nocauteou e salvou tantos homens, mas a verdade é que aquela missão foi o dia em que matou uma menina. Sério, se a situação não afetasse a Melinda, alguma coisa estaria muito errada. Lidar com uma vida frágil e inocente, que a princípio vemos assim para descobrir que ela é uma pessoa que mata e faz maldades, é um choque significado. Principalmente quando a escolha está entre se defender ou não. Odeio quando crianças são envolvidas em qualquer coisa, mas tudo é entendível. Foi realmente interessante ver como tudo se desenrolou e triste saber a culpa que May deve sentir. Pergunto-me se Melinda conversou com o marido e se foi isso que causou a separação deles.

may simmons
Em paralelo, temos Melinda lidando com assuntos delicados no presente. Bobbi e outra agente chamam a atenção de May para um projeto de Coulson chamado data protocol. Parece que ele estava escondendo essa operação, gastos e viagens que ninguém sabia, por isso que a 'outra Shield' interviu. May se faz de entendida, mas a verdade é que ele não havia contado para ela sobre isso ou Mike. Foi difícil ver Simmons e Melinda tentando averiguar a veracidade de tudo aquilo e porque Coulson teria todos esses segredos. Pelo menos elas o dão o benefício da dúvida, afinal Phill deve ter uma explicação razoável para isso tudo. Gosto de saber que as duas estão ali para apoiar uma à outra. No final, apesar de tentar achar respostas, o próximo passo para May é abrir o 'caixa de Fury'. Só quero saber como a Jemma vai contar que trocar a verdadeira...

Agora, vamos falar de coisas mais felizes. Skye e sua mãe. Para quem achou que iria demorar a revelação, adianto que os eventos estão evoluindo depressa. Jiaying leva a filha para as montanhas e deduz que o poder de Skye é controlar e perceber as vibrações de tudo que está a sua volta. Assim, fazem um teste e Skye consegue criar uma avalanche. Isso pode suar como algo ruim, mas acreditem o sorriso de Skye diz tudo. Ela percebe aos poucos que pode controlar seus poderes e pode ser algo belo, algo sem causar dano à ninguém. Gostei bastante da relação entre as duas. Jiaying mostra a Skye como essa sua nova faceta pode ser algo bom, algo que queria que alguém falasse para nossa Quake há muito tempo.

Assim, elas tem uma segunda seção de treinamento: mover a água de diversas taças. Mais uma vez Skye rapidamente pega o jeito e consegue fazer o começo de uma música. E antes que possamos pensar que tudo está parecendo fácil demais, Skye quebra todas as taças. Ela, assim, revela que está começando a gostar dali e tem medo de ser tirada dali, como em todo sua vida. Skye desmorona e fala o quanto sofreu por nunca ter uma casa. Todos amigos do orfanato que perdeu contato, casas de adoção das quais foi mandado embora e... até a Shield, atacando-a. No discurso, vemos que se ressente por agentes terem ido atrás dela. Skye não sabe de todas as reviravoltas que aconteceram com a Shield, mas espero que ainda lembre que Melinda a avisou para fugir e saiba que o grupo da Shield que conhece (ou quase todo ele) ainda está do seu lado.

skye
Com tudo aquilo é bem fácil de perceber que Jiaying fica agitada pela filha e acaba contando toda a verdade. Isso mesmo. Ela conta à filha sobre o dia em que nasceu e como Cal costurou seu corpo de volta (e com seus poderes de cura, reviveu). Skye fica em choque, com toda razão. No fundo, ela sabia, mas não queria acreditar. A cena toda é fofa e claro que é completamente diferente do pai louco de Skye. Jiaying, no entanto, pede que Skye mantenha isso em segredo da comunidade, afinal as pessoas podem achar que Jiaying irá privilegiar a filha. A chinesa é sempre mencionada como dona do lugar, mas do jeito que ela fala parece que tem líderes além dela. Será que conheceremos essas pessoas? 

Depois do reencontro, Jiaying faz um pedido difícil para Skye: rever o pai. Um único jantar e pode não vê-lo nunca mais, se quiser. Gosto de ver como Jiaying põe a filha em primeiro plano, afinal Cal não é a melhor pessoa do mundo. No entanto, incrivelmente (ou não) tudo corre bem e Skye parece realmente se sentir em casa. Afinal, não podemos negar que apesar do pai que tem, todo órfão deve sonhar em rever os pais e, para Skye, o jantar foi realmente um momento e tanto. 

Para finalizar, quando achamos que não tem mais nada para acontecer além da família reunida, Lincoln, que apareceu o episódio inteiro em segundo plano, chega e nos deixa pasmos com uma só frase. "Isso não é só um sonho." A frase faz bastante sentido quando pensamos nas aparições de Raina no episódio. Ela está com problemas em lidar com sua aparência e não vê a hora de sair dali. Gordon e Lincoln tentam ajudá-la, conversa vai e conversa vem... Até que ela conta sobre seus sonhos e o quanto vê Skye feliz, num jantar de família, enquanto Raina está ali não tão bem. O sonho lembra de alguma coisa? Ring a bell? Pois é, finalmente temos mais uma revelação: o poder de Raina é a premonição.

Como cena no finalzinho, temos boas notícias. Fitz consegue abrir a 'caixa de Fury' e, mais do que isso, sabe que está sendo perseguido e consegue entrar em contato com Coulson e Hunter.

O melhor
+ Referência ao Coulson procurando formar um grupo de superheróis. E inclusive convida Melinda para participar. Boa jogada, escritores.
+ Paralelo entre flashback e a história contada por Jiaying. Gostei que Skye tenha descoberto.
Revelação de Jiaying para a filha, além do treinamento de Skye.
Finalmente a história de Bahrein.

O pior
Segredos do Coulson. Por favor, tenha bons motivos.
Cal.

Nota 9,0

Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Comecei a me envolver com os personagens de tal forma que só o tumblr faria. 

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1