Image Slider

terça-feira, 31 de março de 2015

Review: The Walking Dead 5ª Temporada

twd season 5

O caos dentro dos Vagões de Terminus, a perda e tristeza no Hospital, as mortes pelo caminho e uma gota de esperança em Alexandria. Assim foi a 5ª temporada de The Walking Dead.

Ela começou exatamente em Terminus (lugar onde havia terminado a temporada anterior): logo de cara vi um dos melhores episódios de toda a série, as premières (1° episódio) sempre são os melhores  e causam grande euforia ao público e neste caso não foi diferente. A comunidade que vivia no Terminus (Canibal) apareceu em 5 episódios e foi suficiente para desenvolvê-los, pois mostrou o motivo de sua raiva e estarem fazendo aquilo. O ritmo no início da série foi excelente, tivemos três episódios que misturaram tudo aquilo que não foi apresentado na 3ª temporada: a comunidade de Woodbury e o Governador.

Os maiores erros da série foi a falta de desenvolvimento na terceira temporada foram: a quebra de ritmo, roteiro fraco e o desperdício de personagens. Não foi totalmente a culpa de Glenn Mazzara, showrunner na época, mas sim outros motivos.

A forma como Scott Gimple está trabalhando em TWD deixa claro que ele sabe o que faz! Enquanto Mazzara e o próprio Darabont queriam uma série fora do que as HQs mostram e sim algo que seguisse seu rumo sozinho, Gimple sabe que existe o público fã das HQs e aqueles que só vêem a série, tentando, portanto, equilibrar essa situação.

A temporada passou por altos e baixos. De um início sensacional a alguns episódios medianos que gosto de chamar de “episódios de transição”. Estes últimos, por sua vez, são aqueles episódios que não acontecem muita coisa, como por exemplo: poucos zumbis, poucas mortes e mais conversa, episódios onde conhecemos a mentira, onde vemos o valor de uma verdadeira amizade e que principalmente ninguém que gostamos e confiamos será deixado para trás.

Esses episódios são muito criticados porque são chatos (como os da 3° temporada). Porém, é preciso saber que a  série não é de ação, mesmo 70% do que é apresentado tem ação no meio, ela é uma série dramática.

Com mais de 20 personagens, é preciso um desenvolvimento de todos para que nada fique jogado no ar ou se torne um furo de roteiro e nesta temporada isso foi feito melhor que as temporadas anteriores.

Há mortes desnecessárias dentro da série, na maioria das vezes bobas, mas lembrem-se: é um apocalipse zumbi e erros acontecem. Uma dessas “mortes desnecessárias” é de Beth. Ao meu ver, a mais triste da série. Digo isso, pela atitude da personagem, mas dentro do roteiro era algo que seria útil para construção de outros personagens maiores que ela como o Daryl, por exemplo. Juntamente com ela, tivemos também a morte de Tyresse. Novamente boba, porém importante dentro do roteiro (repetindo, diferente das mortes sem sentido que ocorreram na 3°  temporada).

A atuação também foi algo grande nessa temporada, sem dúvida Andrew Lincoln (Rick Grimes)  merece uma indicação a algum prêmio pelo seu trabalho neste ano 5.

twd

“Este mundo não é mais dos vivos e sim dos mortos e nós os vivos temos que nos acostumar a viver nele a partir de agora”. Com essa frase Rick conseguiu ainda por um pouco de esperança à sua “família”, que ainda vale a pena lutar neste novo mundo caótico.

Seguindo o mesmo tom e ritmo de sua antecessora a quinta temporada que iniciou de uma forma eletrizante, termina com um grande gancho para o que está por vir daqui a 7 meses. Se ainda há esperança de um mundo melhor, se ainda existe algo para lutar, se matar é a solução para tudo e se o medo não pode existir neste mundo, desistir não é uma opção para os sobreviventes.

A moral é algo que não existe mais, mesmo quando se acha que ela existe. Saibam que no mundo de TWD existem lobos disfarçados de ovelha e vice-versa. Então fica a dica: faça o que for necessário para sobreviver e nunca abaixe sua guarda.

Excelente ritmo, coesão entre um episódio e outro, a 5ª temporada termina nos deixando ansiosos pelo que vem a seguir.

Se preparem, os lobos estão chegando!

NOTA: 9 Ms

Misturamas/ Autor:Weuler A resenha está em um modelo diferente do qual usamos porque foi posteriormente postada pelo nosso site parceiro Misturamas - continuação da parceria com To Be Continued. A repostagem foi autorizada pelo autor e blog. 

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1