Image Slider

quinta-feira, 26 de março de 2015

Review: Arrow 3x17 - "Suicidal Tendencies"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Suicidal Tendencies", exibido no dia 25/03/15.

diggle lyla wedding

Lembram quando eu falei que o episódio passado não tinha sido tão ruim assim? É por isso que a gente não pode elogiar... Porque logo na semana seguinte vem um episódio tipo esse aqui.

O episódio começa em sua melhor parte: o casamento de Diggle e Lyla. Pena que só durou uns cinco minutos. Sério, quando me dizem que vai ter episódio de casamento, eu espero um episódio de casamento, não ser passado como se fosse nada em alguns segundos e depois passar para outra. Isso já me deixou chateada, porque estava esperando bastante por esse momento, afinal Diggle e Lyla mereciam algo decente. O casamento em si foi lindo – pelo pouco que vimos – apesar de por algum motivo obscuro terem decidido colocar o Ray como ministro (oficiante?) do casamento. Nunca entendi essa mania dos americanos de ter gente aleatória que não é juiz, padre nem nada oficializando casamento, e odeio mais ainda quando as séries fazem esse clichê de “quem ia oficializar não pode mais!!! O que fazemos??”. Desculpa aí, mas que tipo de casamento mal organizado é esse?

Minhas raivas pessoais à parte, isso foi só mais uma tentativa (falha) de tentar fazer o Ray ser relevante. Tudo o que fez foi me fazer revirar os olhos com as piadas ridículas dele, não sei como Lyla e Diggle ficaram tão tranquilos com a situação. Mas tudo bem, eles estão se casando, tudo está bonito e isso é o que importa.

Infelizmente, a felicidade de todos dura pouco, porque logo chega a notícia que o Arrow falso matou algumas pessoas e todo mundo fica chocado. Eles abandonam a festa (assim!) e vão para o Foundry decidir qual é a melhor estratégia, já que ligaram os pontinhos super rápido e entenderam que era o Ra’s disfarçado tentando acabar com a paz do Oliver.

E conseguiu, porque logo detetive Lance, a prefeita (que nunca vi antes), Laurel e Ray estão fazendo discursos sobre o evento. O que Ray está fazendo no meio dessas pessoas? O que um empresário qualquer tem a ver com isso? Mais um mistério que nunca será resolvido... E por mistério quero dizer furos na série mesmo. Porque isso não faz absolutamente sentido nenhum. Eu sei, de tantas coisas ruins em Arrow eu foco nisso? Também não entendo, mas o fato é que ainda estou chocada.

atom 3x17

Ai, Ray, o que fazer com você? Quando você acha que a situação já está péssima, que Palmer já esgotou sua paciência, eis que vem esse episódio para provar que nada nunca está tão ruim que não possa piorar. Fiquem chocados ao descobrir que não vou ficar me alongando aqui explicando meu ódio do Ray, ao invés disso irei simplesmente redirecioná-los para esse post, que irá articular muito melhor do que eu jamais poderia. Mas porque nem todos falam inglês e preciso extravasar, irei falar um pouco sim.

Ray foi problemático desde o episódio um, stalkeando a Felicity, deixando-a sozinha na cama para terminar a roupa de Atom dele e simplesmente sendo uma pessoa irritante em geral, mas nesse episódio ele consegue se superar em babaquice. Ele vai atrás do Arrow com sua SuperSuit, porque é um hipócrita e quer ser um vigilante também, e descobre que ele é o Oliver com a ajuda de um software de detecção facial que ele roubou da Felicity. Depois disso, ele vai logo insultar confrontar a Felicity sobre o Oliver.

E ele faz isso do jeito mais paternalista possível. Sério, quem começa um argumento dizendo que tem três PhDs e sei lá o que mais ,e por isso é inteligente, não merece meu respeito. Já parei por aí, pode se retirar, Palmer. E depois ele ainda joga na cara que não confia nela, tem a ousadia de dizer que nunca escondeu nada dela (oi???? Essa SuperSuit aí construída foi o quê? Stalkeá-la, usá-la para conseguir pegar a QC, roubar o software dela sem ela saber, quer que eu continue listando ou está bom?), e quando a Felicity defende o Oliver ele vem com “Você gosta dele”. Tipo, sim, óbvio, mas como se ela pudesse não ter outros motivos. Como se ela não estivesse ajudado o Oliver e o defendido muito antes de ter qualquer sentimento romântico? E fala como se ela estivesse cega às ações do Oliver, como se nunca antes ela mesma tivesse discordado dele? Ray, você não sabe de nada.

E como se falar isso para a Felicity não fosse o suficiente, ele consegue ser mais misógino ainda com a Laurel, acusando-a de ser a BC e tudo mais só porque tinha namorado com o Oliver. Ainda bem que Laurel sambou na cara dele depois disso. Laurel advogada é minha Laurel preferida, adoro quando ela começa a ameaçar as pessoas com processos legais, um dos motivos pelo qual eu preferia que em vez de BC ela tivesse ficado só nos tribunais, mas essa é outra história.

Bom, depois que Ray revela que vai atrás do Oliver, Felicity fica meio desesperada e conta pro Team Arrow o que aconteceu. Tem uma grande briga de egos entre Ray e Oliver, quem merece Felicity e essas coisas ridículas que vemos todo episódio, em que os dois ficam falando sobre ela e a Felicity mesmo quase não tem a chance de expressar sua opinião...

arrow 3x17


Amo o Oliver e entendo todos seus comportamentos, mas Arrow simplesmente não sabe explorá-los como devia. Oliver é uma pessoa traumatizada, ele é o protagonista da série, ele tem um milhão de problemas e conflitos, mas ao invés de explorarem isso, ficam fazendo ele se comportar como um babaca. Ele ama a Felicity, mas resolveu no início da temporada que não poderiam ficar juntos, teoricamente ao longo da temporada ele deveria passar por uma trajetória e perceber que estava errado. Mas já se passaram dezessete episódios e o Oliver continua no mesmo lugar, sem desenvolvimento nenhum, e depois vocês esperam que eu acredite que em seis episódios tudo vai se resolver e Oliver e Felicity vão se acertar?

Ele continua fazendo escolhas por ela, mesmo sem perguntar o que ela quer para começar. Ele fica super irritado quando descobre que Ray também é meio vigilante, o que significa que ele não é o que ele queria para a Felicity (mas concordo que Oliver nunca esteve muito feliz sobre o relacionamento, não). Eu acho que teria sido melhorar explorar Oliver percebendo que poderia ter tudo sim e só não teve porque escolheu assim, mas eles decidiram mantê-lo decidido que Ray eventualmente vai perceber que não pode ter tudo também. E depois de uma luta com Ray, eles acabam ficando ~amigos~, e Oliver falando que Ray deveria confiar na Felicity. Tudo isso logo depois que Ray atingiu o Roy e o machucou, mas aparentemente ninguém lembra disso, porque nem vimos o que aconteceu com ele...

Depois disso, Felicity vai conversar com Ray (ELA vai conversar com ELE, apesar de ele ter feito coisa errada, é isso mesmo, produção?), e acaba o perdoando. Por quê? Quem sabe?! Caracterização da Felicity nesse episódio foi totalmente jogada, então nem falo nada. Porque até parece que a Felicity, que tem um super complexo de abandono causado pelo pai e problemas de confiança, perdoou assim do nada o Ray ter dito que não confiava nela e ter ignorado tudo o que ela disse. E aí eles ficam falando sobre serem parceiros na vida e tudo mais... Gente, parem de forçar a barra, vocês estão juntos há umas duas semanas, que parceiros na vida o quê, vocês são no máximo parceiros na cama. Detalhe que Ray aparentemente se esqueceu de sua linda falecida noiva, Anna, por quem ele prometeu que nunca mais nem beijaria uma mulher na vida... E bastou dormir com a Felicity, que agora já está planejando a vida inteira. Se eu fosse a Anna, eu voltava para assombrar esse aí.

E foi basicamente isso o que aconteceu nessa parte do episódio, só Ray e Oliver brigando, caracterização da Felicity sendo destruída, minha paciência acabando... E no final, Ray, Felicity, os Lances e a prefeita estão reunidos em mais uma reunião de “pessoas aleatoriamente importantes”, quando Ra's ataca novamente. Quer dizer, Maseo dessa vez. Ele manda uma flecha direto na prefeita, o que deve ser o cargo mais perigoso de Starling depois de Moira, Blood e agora isso. Rotação maior do que de professor de defesa contra as artes das trevas. E, como se não bastasse desestabilizar a política da cidade, Maseo está mirando para Felicity.

Nem ouse, Maseo.

suicide squad 3x17


Enquanto isso, na outra parte do episódio estão Diggle, Lyla, Deadshot e Cupid. Bem separado na resenha, porque as duas partes estiveram bastante desconexas mesmo.

Diggle e Lyla estavam indo para a lua de mel quando são interrompidos, precisam ir para uma tarefa do Suicide Squad. Pelo o que parece, ARGUS não respeita férias ou licença, alguém chama a Laurel para processá-los. Eles vão teoricamente salvar um senador americano, mas tudo se vira contra eles quando se revela que o senador que tinha organizado o próprio sequestro, querendo forjar um ato heróico para impulsionar sua carreira e tornar-se presidente. Só que agora deu errado, porque vai precisar matar todo mundo.

Isso abala bastante todo mundo, em especial Diggle e Lyla que acabaram de se tocar que foram para uma missão suicida juntos e que se morrerem, Sara vai ficar órfã. Seus medos fazem todo sentido, na vida real eu também acharia essa uma decisão bastante irresponsável, mas como estou falando de série e não vida real, estou simplesmente de saco cheia dessa storyline. Faça logo todos os personagens perceberem que podem ter seus trabalhos, arriscando a vida, e uma família também, chega!

Ao longo do episódio, vamos vendo também flashbacks de Deadshot. Ao contrário da maioria do fandom, não tenho todo esse amor por ele, tipo... ok? Ele era o vilão, matou o irmão do Diggle, agora ele é meio anti-herói, mas não ligo muito. O importante é que os flashbacks introduziram um pouco a história do irmão do Dig e o HIVE, que devemos ver mais na próxima temporada. Mas sinceramente estou mais curiosa para saber do clone da Shado lá nos flashbacks do Oliver.

No tempo real, Deadshot fica comovido pelo drama de Diggle e Lyla, provavelmente lembrando-se da própria família, e acaba se sacrificando pelo bem maior, possibilitando que os reféns fugissem. Pelo o que tudo indica, ele morreu, mas como não vimos corpo nenhum, eu duvido muito que essa tenha sido a última vez que o vimos.

Mesmo abalados com a aparente morte dele, os outros voltam para Starling City. Diggle resolve sair do Team Arrow, porque não quer a Sara fique órfã, mas Lyla chega e diz que ela se demitiu do ARGUS. Quero saber quem que vai sustentar a casa agora, porque achei que o Diggle não estava sendo pago depois que o Oliver ficou pobre. Sinceramente, fiquei feliz pela Lyla, porque aquele era um emprego bem sombrio mesmo e só causava confusão, mas um pouco chateada pelo Diggle de novo querer sair do Team Arrow. Aliás, ele não saiu, certo? Vi que muitas pessoas ficaram confusas e acharam que ele tinha saído... Terei que esperar pelo próximo episódio para confirmar.

O Melhor:
+ Diggle e Lyla! Salvando esse episódio!
+ Cupid dando em cima do Deadshot
+ Deadshot se sacrificando
+ Roy e Thea dançando no casamento por meio segundo.
+ Diggle ameaçando o Ray
+ Laurel ameaçando o Ray

O Pior:
- Ray. Tudo o que envolve ele. Eu disse que não ia falar muito dele, mas acho que acabei falando, né? Sigh.
- Caracterização da Felicity foi estranha
- O que aconteceu com o Roy?
- Diggle saiu do Team Arrow ou não?
- Falta de desenvolvimento na história do Oliver
- Por que tanto foco no Deadshot?
- Eu, por ainda gostar de Arrow mesmo depois de tudo isso. 

Nota: 5,5

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.

Um comentário:

  1. Tenho um blog que é :FALANDO SÉRIO, ,por uma letrinha nós não empatamos(rs)

    Se quiser me seguir ou simplesmente conhecer meus blogs é só clicar na chave do meu perfil, que sinceramente espero que possa abrir todas as portas que você estiver precisando.

    Feliz Páscoa e um abração carioca , minha conterrânea.

    ResponderExcluir

 
UA-48753576-1