Image Slider

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Review: Parks and Recreation 7x12/13 - "One Last Ride"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers dos episódios "One Last Ride", exibidos no dia 24/02/2015!

parks and rec series finale

Aí está pessoal, a grande e esperada series finale chegou. O final de uma série é sempre problemático, os fãs tem uma expectativa e muitas vezes os escritores simplesmente erram na mão. Admito que Parks me pegou de surpresa com o formato desse finale, mas em geral fiquei muito feliz com o final. A série teve uma primeira temporada meio parada, mas aos poucos foi ganhando nossos corações. Com ela, aprendemos um pouco mais sobre o feminismo, governo, ironias da vida, enfim, tudo colocando uma risada em nós. Do improviso, Parks and Rec conseguiu suas melhores piadas e nos surpreendeu.

Bom, mas vamos falar do episódio, certo? Ele foi dividido em dois, mas falarei como se fosse um único porque, bem, é. Como seria de se esperar, Leslie começa fazendo uma retrospectiva do grupo, ou pelo menos tenta, já que ninguém está muito interessado. Em teoria, a partir daí teríamos imagens nostálgicas e um pouco das lembranças de tudo que aconteceu com os personagens que amamos, mas é aí que Parks que nos surpreende e nos mostra o futuro de cada um ao invés disso. Tenho que bater palmas de pé pela decisão. Como eu disse, no começo achei meio estranho porque queria uma coisa meio nostálgica - assim, para chorar mesmo -, mas gostei do foco no futuro e fazermos 'novas histórias', como Leslie disse. É como se soubéssemos de como a vida deles vai acabar mesmo que não acompanhemos mais.

leslie knopeNossa querida Leslie tem um papel de líder (como sempre teve) da equipe, já que é a partir de cada pessoa que ela abraça ou dá as mãos que vemos um pouco do que acontecerá. São pequenos pulos no futuro, inclusive de personagens pequenos. Vi uma entrevista em que Amy Poehler e Mike Schur (escritor e criador da série) falam sobre escreverem o finale e como se preocuparam em dar o final para cada um, inclusive aqueles personagens que gostamos e não aparecem tanto, como Jean-Ralphio e Craig. Schur também falou em como é difícil essa pressão do finale e que procuraram pensar inclusive nas últimas falas e como estas deveriam refletir cada personagem, porque depois delas, não falariam mais nada... Podem reparar nesse detalhe quando assistirem.

Bom, mas o acontecimento do episódio que acarreta tudo é simples: um pedido de reparo de balanços de um pequeno parque. E mesmo não trabalhando mais no departamento, Leslie e o resto decidem atender a esse último cidadão como uma equipe. Então, Leslie vai atrás de formulários e coisas para resolver, e assim fazemos uma viagem no tempo até chegarmos ao concerto do balanço. Resolvi então dividir a resenha de hoje no futuro de cada um:

Donna:
Estamos no ano 2023 e Donna parece realizada: é corretora, continua feliz com Joe e já viajou para muitos lugares. Enquanto estão planejando ir para a Amazônia, no entanto, Joe comenta que tiraram matemática da escola em que trabalha e isso o preocupa, assim como outras matérias. Assim, Donna contacta nossa querida April com uma ideia: montar um instituto que tenha as atividades tiradas como complementares com a ajuda da fundação em que April trabalha. Donna escolheu investir seu dinheiro em algo que seu marido se preocupava (e logo ela também) ao invés de viajar, mas claro que não mudou completamente. Ela continua 'treating yo self' e comprando tudo do bom e do melhor.
donna meagle
"Eu cheguei em nono lugar do Italy's Got Talent"
Sempre adorei como a Donna se ama e cuida de si mesma, sem se importar com o que os outros pensam, mas ao mesmo tempo ela conseguiu se abrir e deixar que alguém que ela ama também a mudasse um pouquinho. Para melhor, claro.

Craig:
Nos encontramos no ano 2019, Craig está cantando no Tom's Bistro e encontra um grande amor: Typhoon. A relação anda bem rápido, mais um pulo no tempo e quando vemos os dois estão se casando. Caso não lembrem, Typhoon é o amigo cabeleireiro de Donna e já tinha encontrado Craig no casamento dela. Não só isso, mas não sei se repararam que ele conheceu Ron e o fez rir no último episódio e vemos Ron como padrinho de casamento dele nesse? Pois é, parece que a amizade cresceu e continuou através dos anos. Gostei ver a continuidade da nova amizade de Ron começada no 7x11.

April e Andy:
É época de Halloween em 2022 e vemos mais uma vez Burt Maclin e Janet Snakehole em ação. Os dois se encontram com Leslie e Ben, mas há uma tensão no ar: Andy quer crianças e April, não. Ben, percebendo, faz Andy ir conversar com ele, assim como Leslie conversa com April. Pelo bate-papo, April parece estar preocupada com o como seus filhos seriam (e se fossem o oposto dela e de Andy?). Uma dica que temos é que ela se dá bem com os filhos de Ben e Leslie, então não sei se é medo ou se simplesmente é algo que ela não tinha em seus planos, e por isso a dúvida, mas a conversa com Leslie a faz repensar. Imaginava um discurso maior, mas Leslie só fala em uma simples frase que ter filhos é ser um bom time como casal e querer aumentar os participantes desse time.

april and andy

Assim, um ano depois, April e Andy dão as boas vindas à Jack. Aliás, quando April aparece na casa de Donna no começo do episódio em 2023, ela parecia estar grávida. Agora, o que seria mais April do que dar luz no Halloween, toda maquiada em um estilo meio caveira, ao som de "Monster Mash"? Pena que não falaram o que o Andy anda fazendo no futuro... Mas quem sabe o personagem novo - que ele cria rapidamente no final do episódio - não dá certo?

Jean-Ralphio:
Tom e Leslie o encontram em uma cadeira de rodas tentando dar um golpe e pegar o dinheiro do seguro. Jean-Ralphio fica 'emotivo' e parece não querer que Leslie vá embora. Pulo no futuro e estamos no ano 2022 e... no enterro do Jean-Ralphio. A princípio fiquei meio surpresa, afinal não acreditava que botariam uma morte aí no meio, mas depois, conhecendo a figura, percebi que talvez tenha mais nessa história. Pois é, Jean-Ralphio e Mona Lisa aparecem dois segundos depois tentando bolar a segunda parte do plano de pegar o dinheiro do seguro. É, parece que depois que o pai deles morrer (até antes, para ser sincera), os dois não vão conseguir ficar muito tempo sem dinheiro - seja porque vão acabar com ele rapidamente ou não acharão o suficiente. A história, no mínimo, é engraçada. Assim, voltamos para o tempo atual na série e uma revelação: Jean-Ralphio declara seu amor por Leslie, não que ela tenha ligado muito.

Tom:
Voltamos a 2019 no dia em que Craig reencontra Typhoon, vemos então Tom se encontrar com o seu Conselho de Experts do restaurante para discutir uma expansão. Os membros? Ben. Ron e Donna. Gosto de ver como o Tom ficou amigo mesmo do Ben. Um pulo no tempo e percebemos que Tom faliu. Lucy está ali tentando consolá-lo e falando como ele sempre pensa em uma coisa nova. Achei interessante vermos que Tom fala que fracassou quando foi irresponsável e impulsivo, mas também quando se planejou e fez tudo certinho. Acho que, como muitas coisas na vida, é questão da hora certa ou de não estar pronto ou simplesmente azar. O importante é que Tom consegue se reerguer.

tom haverfordQuando vamos ver, Tom está em um palco. Sim, alcançou o sucesso mais uma vez e fala o quanto teve que ter diversas segundas chances para finalmente se encontrar. Como ele ficou famoso? Bom, nada mais nada menos do que escrevendo livros sobre seus fracassos. Irônico, não? Além disso, foi fofo ver que Tom captou a qualidade de cada um e fez um perfil para cada tipo de sucesso com todos do grupo.

Gary:
Ao longo dos anos, vemos que Gary ter a vida perfeita: é prefeito por sei lá quantas vezes seguidas, continua com a mulher, tem muitos netos e bisnetos, morre os cem anos feliz e em paz. Pena que tenham escrito o nome dele errado na lápide. "Aceite os seus erros como Gary Gergich". Li essa frase e acredito está aí uma ótima qualidade do personagem. Não posso deixar de notar que, no enterro de Gary, Leslie e Ben estão sendo escoltados pelo serviço secreto. O que significa que... um deles é ou foi presidente? Ou quem sabe os dois?

Ron:
Em 2022, Ron parece não estar satisfeito com seu trabalho. Realizou muitas coisas na vida, mas parece faltar um propósito ou fazer algo mais 'útil', segundo ele, e não só ficar sentado em um escritório. Desde que descobrimos os irmãos do Ron, queria que ver a interação deles mais uma vez. Claro que não passam de dois segundos de conversa, mas podemos ver que os dois são iguais ao Ron em demonstrarem emoção. Bom, só tem uma pessoa que Ron poderia pedir ajuda e essa pessoa é a Leslie, afinal lembrem que da última vez que ele não se abriu com ela, eles ficaram sem se falar por anos. Eles conversam e, é claro, Leslie acha o emprego perfeito: superintendente do parque nacional no terreno doado pela Gryzzlbox (aquele que a Leslie tanto queria construir durante a temporada). Pensem bem, ar livre, natureza, animais, pesca, canoagem - tudo que o Ron ama.

leslie and ronJá voltando para 2017, vemos o Ron desconfortável segurando a mão da Leslie. A cena é um exemplo do relacionamento deles. Leslie é muito afetiva e Ron, mesmo não sabendo como reagir ou demonstrar seus sentimentos, deixa ela fazer o que quer porque gosta dela.
(Nessa parte temos uma mini participação da repórter da cidade. Shauna Malwae-Tweep)

Leslie e Ben:
Last but not the least. Leslie, como sempre, acaba de falar com Ron e já repensa se deveriam mesmo se mudar. Claro que Ben a acalma dizendo que sim, as coisas vão mudar, mas também serão boas. Além disso, eles sempre voltarão à Pawnee. Então no flashforward para 2025, vemos nosso fofo casal em uma casa onde já estiveram várias vezes, a casa de Joe Biden. Como esquecer do amor que a Leslie tem pelo vice-presidente? Foi legal ver o quanto eles conseguiram, afinal de contas, esse era o sonho de Leslie - avançar na carreira política e conhecer todos essas influências em sua vida.

beslieNa festa, tanto Leslie quanto Ben são cotados como ótimos candidatos para o cargo de governador de Indiana. Vêem o problema? Pois é, não tem como decidir esse tipo de coisa, e olha que eles até tentam fazer uma lista de prós e contras... No fim, eles resolvem deixar para quando voltarem à Pawnee para conversarem com seus amigos. Na hora, no entanto, eles não conseguem nem tocar no assunto e Leslie decide que talvez devessem decidir no cara ou coroa. Sim, Leslie, a pessoa mais planejada e que não deixa nada para o acaso, quer deixar a sorte decidir. Por que? Bom, porque independente de quem ganhar o outro estará sempre do lado e no fundo os dois estarão ganhando. E quando ela vai chamar todos para participarem, Ben anuncia a candidatura de Leslie. Ele percebe que o sonho dela era antigo - desde quando era pequena e escreveu isso em seu diário - e que talvez fosse a hora dela. Mais uma vez tenho que falar que foi uma cena adorável de fofa.

Adorei ver como cada um tem pelo menos alguém do grupo presente em seu futuro, porque, apesar de não poderem estarem sempre 'todos no mesmo lugar ao mesmo tempo', como Leslie queria, eles acompanharam a vida de cada um. Mas, claro, continuamos no futuro por um bom tempo - com o flashforward do Ben e Leslie - e vemos que a gangue conseguiu se reunir novamente em 2025. Não só isso como Ann e Chris aparecem para fechar o grupo. Finalmente! E ainda por cima anunciam sua volta à Pawnee.
ann and leslie
"Ann está aqui!"
Vemos então todos os filhos reunidos, a segunda geração de Parks, e tem mais à caminho (não vou dizer de quem, mas é da April e do Andy). Não pude deixar de notar que a Ann deu o nome de Leslie à filha. É muito amor, não é? Além disso, descobrimos o plano das duas de fazerem seus filhos se apaixonarem. A segunda parte desse plano era fingir desaprovação, não que tenha dado muito certo. Foi uma cena fofa. Sonia e Oliver, quem shipa? Bom, quanto aos nossos antigos membros, vemos diversas interações. Chris anotando os apelidos que Leslie criou para Ann; Tom e Donna sempre 'treating yo self'; Ben explicando seu último jogo lançado para Ann (ou pelo menos acho que era disso que ele estava falando); Ron falando sobre o quiz do livro de Tom; Ann sendo esmagada de abraços pela Leslie; April insistindo que os filhos da Ann não eram biológicos; enfim... de tudo um pouco.

E assim, vemos Leslie olhando pela mesma janela de tantas temporadas atrás (no primeiro episódio) e percebemos o quanto tudo mudou. Quantas coisas eles passaram juntos, quantos parques construíram, quantas pessoas conheceram e o quanto vamos sentir falta desses personagens. Mais um pulo no tempo e o discurso de Leslie se expande para uma palestra como governadora na Universidade de Indiana. Sim, o momento nostalgia que esperávamos chegou e não tem como não ficarmos emocionados.

Precisava todos terminarem casados e com filhos? A série teve um final feliz, mas perfeito demais? Talvez, mas sabemos que na vida real nem sempre é assim, algumas pessoas podem ficar sozinhas, terem filhos ou não. O fato é que as vezes queremos uma coisa meio novela mesmo. Sem contar que o Tom e a Donna não tiveram filhos, então acredito que a série tenha explorado bastante as opções. Vimos os personagens demorarem para se encontrar (como o April), falharem e se reerguerem (como o Tom), encontrarem um amor (não antes de conhecerem outros), entre tantos outros exemplos.

Ok, mas esse não é o fim, já que voltamos para 2017 para mais um toque final. O grupo termina os balanços e só precisam registrar o momento, já que muitos irão se mudar. Assim, depois de muitas reclamações, no último instante do click da foto, Leslie afirma "estou pronta". Está pronta para o que está por vir e, ela pode não saber, mas nós sabemos: vai ser tão bom quanto.

parks and rec series finale


O melhor
O homem que pede o conserto do balanço é o mesmo aparece dormindo no escorrega no episódio-piloto. Ou pelo menos foi o que me disseram. Pretty cool, huh?
Inesperada ideia de contar o futuro dos personagens.
A despedida. Sério, como o coração aguenta?
Leslie listando elogios para a Ann. Ah, não tem como não sentir falta...
Os créditos finais com vídeos dos erros de gravação e despedida do elenco foi um toque único.

O pior
De quem foi a ideia de uma temporada tão curta? E ainda com dois episódios por semana? Custava durar mais um pouquinho?

Nota 10 (não sei se sou eu sendo emotiva, mas quem se importa)

Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Comecei a me envolver com os personagens de tal forma que só o tumblr faria haha. 

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1