Image Slider

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Dica da semana: Young Avengers (2013)

Hoje vou inovar nas minhas indicações e começar uma nova categoria delas: quadrinhos.

Depois de anos de enrolação, eu finalmente me rendi e resolvi começar a lê-los. A principal razão da minha demora é que eu não suporto ler coisas fora de ordem, o que é inevitável quando falamos sobre quadrinhos. Então se você quer começar a ler agora, supere isso, nunca vai dar para entender completamente todos os personagens e histórias, nem para ler absolutamente tudo. A não ser que você tenha muito tempo mesmo sobrando, o que não é meu caso, porque tenho muitos outros vícios que necessitam da minha atenção também.

Ok, ninguém está interessado na minha história pessoal e sim na dica, então vamos lá. Quando resolvi começar a ler – tirando por Arqueiro Verde que comecei só por Arrow mesmo -, fui direto para Marvel, porque amo os filmes. Mas o que eu realmente comecei, foi de personagens que eu ainda não conhecia tirando por vários comentários no tumblr: Young Avengers (ou Jovens Vingadores, mas eu li em inglês, então vou me referir pelos nomes em inglês).



Sinopse: 
O que nossos pais fizeram não importa. O que importa é o que nós fazemos. Alguém tem que salvar o mundo. Você é alguém. Faça as contas. Aclamado pelos críticos, a dupla Kieron Gillen e Jamie McKelvie reiventa o gibi de super-heróis adolescentes para o século 21 – unindo Wiccan, Hulkling e Kate “Hawkeye” Bishop com Kid Loki, Marvel Boy e Miss America. Sem pressão, né? Quando Wiccan comete um erro terrível que volta para atrapalhar todo mundo, é nossa deixa para cinco volumes de pânico hormonal. Cenas de luta! Identidades falsas! Muitos feels! Young Avengers é tão agora quanto o ar em seus pulmões e duas vezes mais vital.



Os Young Avengers foram introduzidos em 2005, mas eu vou falar aqui sobre o segundo volume, de 2013. Por quê? Porque foi o que eu li primeiro e o que eu gostei mais. Lembra o que eu tinha dito sobre ler coisas na ordem? Então. Ler fora de ordem não influencia muito, pela maior parte, claro que você receberá alguns spoilers do que aconteceu antes, mas nada que atrapalhe a leitura.

Nesse volume, a equipe é formada por Hulkling (Teddy), Wiccan (Billy), Hawkeye (Kate), Miss America (America), Marvel-Boy (Noh-Varr), e kid Loki. Os três primeiros já faziam parte do Young Avengers orginal, mas os outros três são introduzidos ao grupo nele. Mais tarde também se juntam a ele, Prodigy (David) e Speed (Tommy).

Todos os personagens são bastante novos (duh, Young Avengers), apesar de terem crescido desde o primeiro volume (não sei quanto tempo se passou, porque isso é meio confuso), acredito que tenham no máximo 21 anos, e isso torna talvez mais fácil de se conectar com os personagens. A história em si é interessante, Billy tentou usar seus poderes para ressuscitar a mãe do Teddy, mas isso acaba dando muito errado para todo mundo e eles não podem mais confiar em nenhum adulto. Outros assuntos também são desenvolvidos, como o relacionamento entre Billy e Teddy e o futuro do Billy, tudo enquanto eles também são perseguidos por um misterioso personagem vestido como Patriot e o Loki manipula todo mundo.

Mas o principal mesmo de Young Avengers é que é engraçado, lotado de referências e piadas. E os personagens são completamente adoráveis, me apeguei bastante a todos eles e, assim que acabei, fui direto ler o primeiro volume e todos os outros quadrinhos que eles apareciam. Minha preferida é a Kate (que também aparece em Hawkeye, com o Hawkeye original – Clint), mas todos os outros também conquistaram meu coração.



5 estrelas!


Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1