Image Slider

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Review: Agents of SHIELD 2x09 - "Ye Who Enter Here"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Ye Who Enter Here", exibido no dia 02/12/2014!

aos 2x09




















Primeiro de tudo queria me desculpar por não ter feito a última resenha, mas pelo menos usamos nossos parceiros para isso hehe. Sabem como é com provas e faculdade... Bom, o último episódio trouxe vários assuntos importantes para a série, principalmente com a aparição do pai da Skye e nossa descoberta que a mãe dela não envelhecia assim como Daniel Whitehall (aliás, foi com sua morte que ele conseguiu essa façanha), o que nos faz acreditar que a agente possa ser 'especial' dessa maneira também. Além disso, outro fato marcante foi o encontro dos irmãos Ward. Devo dizer que a família é bem desregulada da cabeça e, quando achamos que Grant perdoou o irmão de uma forma muito estranha quando este finalmente confessa a história do poço, vemos que Christian e seus pais são mortos logo depois. Não tenham dúvidas de quem é o culpado...

Devo dizer que os episódios estão cada vez melhores, e claro que como sendo penúltimo antes do mid-season finale, não poderia faltar muita ação e acontecimentos marcantes no 2x09. Começamos assim de onde paramos o episódio passado: Coulson e sua equipe encontram a cidade misteriosa, para onde o Obelisk direciona, e se organizam para destruir o templo, destruindo as chances da Hydra usá-lo para o mal. Mas aí que entra outro elemento na equação: Raina, e assim a equipe se divide. Skye, May e Hunter, assim como os irmãos Koenig, vão para Vancouver para levarem Raina para um lugar seguro, já que o pessoal da Hydra a encontrou; enquanto o resto para San Juan, Porto Rico para encontrarem o templo escondido. (Parece meio Indiana Jones, né?)

may skye
Em Vancouver, encontramos novamente com a agente 33, que tinha usado uma mascara para fingir ser a May, e que aparentemente ficou com a cara para valer. Ela tenta interromper o "resgate" à Raina, mas logo nossa equipe consegue derrotá-la. O que é interessante desse núcleo do episódio é o que vem depois. Raina se abre para Skye e finalmente entendemos como ela e o pai de Skye se conheceram, além de descobrirmos que só entra no templo quem é "digno de sobreviver". Os Krees são finalmente citados! Essa raça alienígena está por trás disso e o Obelisk seria uma forma de eliminar aqueles que não são "dignos de continuar vivendo na Terra", digamos, como já haviam dito.

E claro que é um problema para Coulson e os outros já que estão em San Juan com o propósito de encontrar o templo, mas a Hydra não deixa Skye avisar o resto da equipe quando cercam o avião. E tchan tchan tchan adivinhem que desce para pegar a Raina? Se disse Ward, acertou. May resolve ceder e acabar logo com isso, mas o que não esperava era que Grant exigisse Skye também. O que é interessante é que Ward está no meio termo, ao mesmo tempo que assume a missão de conseguir Raina, vai contra as ordens de Whitehall e traz Skye junto, além de não derrubar o avião da Shield como deveria. Acho curioso ver que Grant tem esse senso de 'dever' em relação à Skye e realmente cumpre o que promete.

Enquanto isso, temos o resto da equipe. Não pude deixar de perceber que Mac e Bobbi pareciam estar tramando alguma coisa, afinal Mac pergunta para a amiga se Hunter estaria por dentro 'daquela outra coisa'. Misterioso, não é mesmo? Só, por favor, não traiam todo mundo nem nada do tipo.

bobbi coulson
Quando chegam em Porto Rico, Coulson e Bobbi vão atrás de um conhecido dela e estudam o lugar. Uma coisa a destacar é que conversam sobre como Fury lidaria com a situação: guardando o templo e o Obeslisk (se pudesse) para que fosse estudado e quem sabe usado pela Shield. Já Coulson pensa diferente. Nosso querido agente pensa nas pessoas e como isso tudo é perigoso para as pessoas à volta e por isso propõe que destruam o templo quando o encontrarem. Depois de seu ideal da Shield ter sido destruído com a Hydra, ele tenta criar uma nova e quem sabe menos corrupta Shield de acordo com udo que acredita. Sim, pode ser um pouco idealista pensar que todos agirão assim, mas gosto de pensar que Coulson foca sua atenção na ideia fundamental dos primórdios da Shield: proteger os cidadãos sempre.

Assim, eles se juntam com Fitzsimmons e Mac para começarem a investigar o lugar e quando os drones do Leo não funcionam, Mac resolve descer o buraco escuro que criaram. E como paralelamente Skye descobre que os que não merecem não sobreviveriam à entrada no templo, já imaginamos o que acontecerá. Mac toca em um símbolo e voilá, ele se torna outra pessoa e começa a atacar todo mundo. Sério, por que? Apesar de tudo, a cena foi ótima para percebermos o quanto Bobbi se importa com o amigo. Imagine ter que atacar seu amigo de anos porque foi possuído ou algo do tipo? Podemos ver nos olhos dela que sofre, mas precisa fazer o que deve ser feito. O pior é que quando conseguem pará-lo, ele acaba caindo no buraco, ou seja, as chances de ter sobrevivido caem. E muito. 

aos 2x09
Agora, preciso falar sobre Fitzsimmons. Eles foram uma parte importante do episódio e amei que tenham voltado um pouco para o problema deles. Nossos queridos cientistas não tem se falado, ou melhor dizendo, tem evitado ficar à sós. Claro que não somos os únicos a perceber e vemos que Bobbi e Mac intervém. Nossa querida Mockingbird se aproxima de Jemma e tenta entender a situação. Adorei essa cena porque finalmente conseguimos entender um pouco do que aconteceu após o acidente e como Simmons se sente com isso tudo, além de claro ver que a amizade delas evoluiu de certa forma. Acredito que Jemma esteja confusa, aliás, ela ficou assim desde o momento que Fitz disse que gostava dela e a deu o oxigênio, se sacrificando assim. Quer dizer, imaginem se isso acontecesse com você? É um peso enorme de se carregar, ela provavelmente se sente até culpada com as sequelas de Leo. Aliás, seus próprios sentimentos são algo que parece a perseguir também, afinal de contas, como ela disse, ela sempre o viu como seu melhor amigo, mas também não consegue ver sua vida sem ele. Ela nãos abe o que sentir e olhar para Fitz a lembra disso tudo. Sério, o que eu não daria para esse relacionamento voltar para a dinâmica de antes? Mas como, depois de tudo isso? E mas uma vez Bobbi não dá a mais simples das soluções: converse com ele, Jemma, se abra. 

Enquanto isso, Mac insiste que Fitz vai ter que falar com Jemma, uma hora e acaba dando um empurrão para que a dupla converse, quando os deixa sozinhos no avião. Os dois ficam nervosos e acabam soltando coisas um em cima do outro, e aí Fitz joga a bomba: vai deixar Simmons controlar o departamento de ciência e os laboratórios e ficará com Mac. Isso pega Jemma totalmente de surpresa e a verdade é que nada é muito resolvido. Leo parece achar que nunca vai melhorar e não é um bom cientista, além de claro ser a forma mais fácil de fugir do confronto com Jemma, provavelmente. 

Apesar de tudo pouco resolvido, adorei ver que houve uma pequena esperança para os dois em uma cena quando estão à procura do templo. Leo fica encarregado em conduzir os drones para investigarem a área e localizarem o templo, mas fica insistindo que Simmons deve conduzi-los, enquanto ela o encoraja a fazer isso ele mesmo. Depois dessa mini-confusão, Leo deve explicar para Coulson como funciona, mas se enrola com as palavras e só vemos aquele silencio constrangedor que dá vontade de abraças Fitz. Mas eis que surge Jemma com as palavras certas e pela primeira vez parece que os dois se conectaram como antigamente. Sim, essa é a esperança que talvez eles voltem a conversar e se ajudar como antes, porque Simmons não é melhor que Fitz em tudo e vice-e-versa. Eles funcionaram tão bem porque eram uma equipe e se ajudavam o tempo todo. E se é para começar de alguma forma essa reconstrução do relacionamento deles, que seja assim.

jemma simmons
créditos
Por último queria falar do sonho estranho da Skye no começo do episódio. Uma das coisas que me chamou a atenção foi o fato de ela tocar na caixa, mas ao mesmo tempo saber que Coulson não poderia. Quase como se fosse o Obeslisk (do mesmo material) e como no fundo ela sabe sobre ele e que poderia tocá-lo sem se machucar. A segunda coisa que me interessou foi o fato da May e o Coulson estarem ali como pais de uma criança que abandonaram. Essa criança representaria a Skye, quem sabe? E então isso significaria que eles fazem o papel de pais que a Skye nunca teve? Faz sentido, afinal de contas, adoro que a relação dela com o Coulson seja exatamente assim: meio parental, em que ele tenta protegê-la; e vemos a May fazendo a mesma coisa (como podemos ver quando Ward diz que levará Skye com ele e May intervém).


O melhor
Bobbi e Simmons conversando. Achei fofo da Mockingbird se preocupar.
Momento de conexão entre Fitzsimmons no final. Além do próprio fato de terem focado um poucos neles nesse episódio.
Mac e o carrinho de controle da Lola hehe.
O relacionamento parental que Skye tem com May e Coulson.
A conversa de Raina e Skye, na qual aprendemos um pouco mais sobre o pai da agente.

O pior
A conversa misteriosa entre a Bobbi e o Mac. A mi no me gusta.
Mac sendo possuído ou sei lá o que. Not cool, guys.

Nota 9,0

Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Comecei a me envolver com os personagens de tal forma que só o tumblr faria haha. 

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1