Image Slider

domingo, 30 de março de 2014

Dicas da Semana



Sábado é dia de dicas além-telinha aqui no blog! Eu resolvi reunir várias em um post só, porque sou assim essa pessoa boa. Aqui vão elas.


1 - Um filme: 24 Hour Party People no Netflix


Que surpresa boa ver essa sugestão de filme no meu Netflix! (Se ele já estava por lá antes, me perdoe, leitor, mas eu só vi essa semana mesmo)

É um daqueles filmes que você já gosta só de saber da temática. Ele conta a história de Tony Wilson, jornalista e agitador cultural de Manchester, um dos fundadores da Factory Records. A trajetória de bandas como Joy Division, Buzzcocks, New Order e Happy Mondays se mistura com a de Wilson, interpretado pelo comediante Steve Coogan, que frequentemente interrompe a narrativa falando diretamente com o espectador. É um filme bacaninha, com muitas cenas de arquivo e participações especiais. Ele vai desde o início da gravadora, passando pela morte de Ian Curtis, o auge do movimento Madchester, o surgimento da cena rave, e claro, o declínio regado em ecstasy e cocaína.

Aliás, o Tony Wilson morreu em 2005, e aproveito para homenageá-lo aqui, já que ele é está na minha categoria de pessoas-que-só-recentemente-eu-descobri-que-morreram-mas-já-tinham-morrido-há-muito-tempo.

O filme fica bem cansativo lá pro final, mas é uma ótima pedida pra quem é fã das bandas, pra quem quer conhecer mais da Factory ou mesmo pra quem quer ver gente louca fazendo coisas esquisitas. Em tempo: o nome em português é "A Festa Nunca Termina". É correto, mas não deixa de ser escroto.

Esse é o trailer do filme.


2 - Um livro: "O Romancista Ingênuo e o Sentimental" de Orhan Pamuk


Gente, eu só li UMA XEROX DESSE LIVRO. A desculpa é que eu estou em época de prova, então só posso mesmo ler coisas relacionadas à faculdade. Então sim, talvez eu não seja a melhor pessoa pra indica-lo, mas se eu só li uma parte e me apaixonei, o resto deve ser igualmente massa.

O Orhan é um cara turco que ganhou um prêmio Nobel de Literatura. Aliás,  ele é o único turco a ter recebido essa honraria. Ele escreveu livros como "O Castelo Branco" e "Meu Nome é Vermelho", todos muito lidos e bem conceituados. Um dos últimos livros que ele escreveu foi "O Museu da Inocência", que virou um museu de verdade em Istambul, reunindo relatos pessoais de histórias de gente comum.

Dito isso, vimos que o Sr. Pamuk é um cara muito legal, e muito apaixonado pela literatura. Nesse texto específico, isso fica bem claro, no modo como ele descreve seu vício em livros, e em todas as referências que ele faz a outras obras. Ele fala da teoria de Schiller, de um certo poeta ingênuo, aquele que escreve as palavras saídas do coração, e do poeta sentimental, que se preocupa com a estrutura do texto e com as estruturas invisíveis da literatura. Para o Orhan, o master mesmo é aquele que é um pouquinho dos dois.

Claro que ele fala isso de uma forma muito mais completa, e dá pra aprender muito com ele, de uma forma não tão difícil. O livro, aliás, é de uma aula que ele deu em Harvard. Uma ótima dica para quem é apaixonado por escrever e quer se aprofundar mais no assunto.

Esse é o Orhan.

http://i.telegraph.co.uk/multimedia/archive/02392/rahim_main_2392424b.jpg

3 - Uma música: Woody Allen - Allo Darlin'

Essa música eu ouvi num filme que, aliás, eu não recomendo: "Imogene". Ela não é nova nem nada, mas é muito fofinha e tem uma letra muito esperta. Se você for ouvir o restante das músicas da banda, você pode ficar meio enjoado, porque são todas muito parecidas. Mas essa música, esquecendo toda a polêmica com o cineasta homônimo, é uma delícia que da pra escutar várias vezes seguidas.

Essa é a música.



4 - Um lugar pra ir: O show do Arcade Fire!


Falta menos de uma semana para esse evento de comoção nacional. Faz 9 anos desde que o Arcade Fire não vem ao Brasil, e dessa vez eles vêm pra duas datas, uma no Rio e outra em São Paulo, para o Lollapalooza. Pra quem não conhece, eles são uma banda canadense de 7? Ou talvez mais membros, todos feios porém muito talentosos. Eles já lançaram 4 discos, e um deles ganhou o Grammy de melhor álbum do ano em 2011. Em ordem do coração, eles são: Funeral, Neon Bible, Reflektor e The Suburbs.

Se você quiser me fazer companhia na próxima sexta, dia 4, ainda tem ingressos disponíveis para o show no Citibank Hall. E também ainda tem ingressos pro Lollapalooza!

Esse é o Arcade Fire versão Reflektor.

http://cdn.stereogum.com/files/2013/09/arcade-fire-snl-2013.jpg

0 comentários:

Postar um comentário

 
UA-48753576-1